Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Do lado direito do peito

| 04/10/2020, 12:16 12:16 h | Atualizado em 04/10/2020, 12:21

Em meio à disputa pelo voto de direita em SP, candidatos deste campo têm feito concessões para tentar obter apoios no centro ou mesmo entre progressistas.

Joice Hasselmann (PSL) critica a desigualdade nove vezes no seu plano de governo e menciona a “geografia da exclusão” na cidade. Filipe Sabará (Novo) promete “acolhimento emocional” a usuários de drogas. Arthur do Val (Patriota) diz que “o olhar social será prioritário, a despeito do largo preconceito que se espalha sobre os liberais”.

Filtro

O imbróglio em torno de Filipe Sabará (Novo) em SP colocou na berlinda a Exec, consultoria contratada pelo partido para ajudar a selecionar o candidato. Internamente na legenda, questiona-se a utilidade do processo e o fato de possíveis falhas no currículo de Sabará, que ele nega, não terem sido detectadas.

Gestão

A empresa, especializada em recrutar executivos, realiza diversos trabalhos para o Novo, que busca implantar procedimentos do setor privado na política. Procurada, a Exec afirmou que, por questões de ética, não comenta nenhum processo de seleção e que a decisão final sempre é prerrogativa do cliente.

Marcação

Apoiadores de Levy Fidelix (PRTB) prometem seguir infernizando organizadores de debates e eventos eleitorais que excluam o candidato. Cerca de 20 manifestantes fizeram muito barulho em frente à sede da TV Bandeirantes na quinta-feira (1º). Levaram até um display em tamanho real do candidato.

Craques

Celso Russomanno se apresenta como CR10 na campanha em SP, em referência às suas iniciais e ao número de seu partido. A ideia é associar a marca à do jogador português Cristiano Ronaldo, conhecido como CR7, em razão do número da camisa.

Vez de quem?

Candidato a vereador em SP e representante de motoristas de aplicativos, Marlon Luz (Patriota) diz que Russomanno se apropriou do bordão “Agora é a nossa vez” e o transformou em seu slogan.

A frase, diz Luz, é usada há anos e vinha sendo trabalhada como mote de mais de 60 candidatos da categoria na eleição. A campanha de Russomanno não quis se pronunciar.

Frente fria

Márcio França (PSB) diz que segue apostando mais alto nas inserções de TV do que nas redes sociais durante a campanha. “Inserção é a chuva que pega todo mundo, rede social é o raio que vai apenas em alguns”.

Tesoura

Na proposta orçamentária publicada no Diário Oficial da última sexta (2), a gestão João Doria (PSDB-SP) prevê corte de mais de R$ 820 milhões da Secretaria da Saúde para 2021.

Se o orçamento de 2020, apresentado ainda antes da pandemia, previu R$ 24,5 bilhões, o de 2021 calcula R$ 23,7 bilhões.

Já tem

O governo diz que o investimento de cerca de R$ 3 bilhões em razão da Covid-19 antecipou a compra de itens que não precisão mais ser adquiridos em 2021, como respiradores e equipamentos de proteção individual. Isso explicaria o corte na previsão orçamentária.

Pós

Como mostrou o Painel, secretários estaduais de Saúde têm manifestado preocupação com a manutenção das novas estruturas e equipamentos após a pandemia. A rede do SUS foi expandida em tempo recorde, dizem, mas precisará de recursos, especialmente do governo federal, para que seja mantida.

Tic-Tac

A juíza Janaína Cassol, da 1ª Vara Federal de Florianópolis, deu prazo de 15 dias para o presidente da Assembleia catarinense, Júlio Garcia (PSD), e familiares denunciados na Operação Alcatraz apresentarem suas alegações antes de decidir se eles se tornarão réus. Caso isso ocorra, Garcia não poderia mais assumir o governo do Estado em caso de impeachment de Carlos Moisés (PSL) e da vice, Daniela Reinerh (sem partido).

Corrida maluca

A dúvida agora é se o impeachment pode ocorrer antes da decisão da juíza. Neste caso, Garcia ganharia foro especial e seu julgamento subiria para o STJ.

Calendário

O presidente da Frente Parlamentar Agropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB-RS), diz que a colheita de arroz em Santa Catarina acontece em janeiro, não novembro. Mesmo assim, ele reforça a crença de que o governo federal não precisará ampliar o volume de importações.

Tiroteio

“Já vi muito o Centrão indicar cargos em governos, mas indicar ministro do Supremo Tribunal Federal é a primeira vez”. Do senador José Antonio Reguffe (Podemos-DF), sobre a indicação de Kassio Nunes para a Corte, respaldada por parlamentares.

MATÉRIAS RELACIONADAS