Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Discurso e prática

| 13/05/2022, 11:36 11:36 h | Atualizado em 13/05/2022, 11:36

Economistas da Faria Lima dizem ver o discurso de Lula (PT) contra o teto de gastos como um aceno político para as bases, mas sem grande relevância em termos de impacto econômico. 

Além da redução da relevância do limite gerada pelas manobras de Jair Bolsonaro (PL), afirmam que a inflação em 2022 deve elevar muito o teto para 2023. Nesse cenário, portanto, o esperado é que, caso eleito, o petista atue nos parâmetros da regra, ainda que afirme que ela não existe mais.

Precificou

A leitura faz parte de entendimento de que, economicamente, eventual vitória de Lula não implicará em reação crítica do mercado financeiro como a de 2002, quando o petista precisou anunciar explicitamente que não adotaria medidas de ruptura. Isso porque hoje já se espera dele uma política de conciliação de interesses.

Porto seguro

Um temor mais específico em relação a Lula tem como foco os bancos públicos, mais especificamente o BNDES, e o possível retorno da política de oferta de crédito com juros subsidiados. Segundo essa visão, trata-se de modelo propício para agravamento da dívida pública e ineficiente na geração de emprego.

Vitrine 1

O lançamento da chapa de Lula e Geraldo Alckmin (PSB) e a entrevista do ex-presidente à revista Time impulsionaram a presença do petista em redes sociais, segundo levantamento da agência .Map com base em avaliação qualitativa de amostra em um universo de 1,4 milhão de posts no Facebook e Twitter, na semana encerrada na terça (10).

Vitrine 2

Lula obteve apoio expressivo da militância à esquerda, como esperado, mas também dos chamados “nem nem”, ou seja, perfis não engajados. Ele teve 63,3% de aprovação junto a esses eleitores, à frente de Jair Bolsonaro (PL), que teve 18,2% de aprovação no segmento.

Alpinista 1

O Pros vai lançar a pré-candidatura do youtuber Pablo Marçal à Presidência da no próximo dia 18, em Brasília. O influencer, que tem mais de 2 milhões de seguidores, figurou no noticiário recentemente após se perder em uma escalada com um grupo de 32 pessoas, que precisaram ser resgatadas pelos bombeiros.

Alpinista 2

Marçal chegou a conversar com o Podemos, depois que o ex-juiz Sergio Moro migrou para a União Brasil, mas a negociação não evoluiu.

Que tal? 

O senador Reguffe (União-DF) é favorável a que seu partido apoie Ciro Gomes (PDT) já no primeiro turno. “Eu defendo uma alternativa à polarização e, no momento, o Ciro é o mais viável”, disse ao Painel. Ele é uma voz isolada, porém, já que a sigla lançou Luciano Bivar.

Trunfo

Fora do páreo presidencial, Sergio Moro (União) ainda é visto por pré-candidatos da terceira via como um importante cabo eleitoral. Quando era pré-candidato, o ex-juiz chegou a aparecer com 10% das intenções de voto.

Filho pródigo

Pesquisas às quais esses partidos tiveram acesso indicam que cerca de 15% de quem hoje declara voto em Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT) podem migrar para outro candidato. Moro poderia ser importante para resgatar eleitores que iriam para ele e foram herdados por Bolsonaro.

Jabuti 1

Alterações propostas ao programa Jovem Aprendiz em uma medida provisória sobre a participação feminina no mercado de trabalho desagradaram parlamentares e podem custar o cargo do secretário-executivo do Ministério do Trabalho, Bruno Dalcomo.

Jabuti 2

O programa estipula cotas de contratação de adolescentes a partir de 14 anos que variam entre 5% e 15% dos funcionários. Uma das alterações criticadas é a permissão para o empregador poder contar dobrado um jovem em situação de vulnerabilidade.

Tartaruga 1

O deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP) questionou ao Ministério do Meio Ambiente sobre multas aplicadas pelo Ibama em 2020 que permanecem sem encaminhamento, sob o risco de prescrição. Os valores ultrapassam R$ 1 bilhão.

Tartaruga 2

Em abril de 2019, decreto presidencial estabeleceu que as multas devem ser revistas por um núcleo de conciliação ambiental, que pode oferecer descontos ou anulá-las. A norma, na prática, atrasa a aplicação da sanção e acaba por enfraquecer a fiscalização ambiental.

Balanço

A Atricon, entidade que reúne Tribunais de Contas do Brasil, fará um seminário em SP em 24 de maio para avaliar o cumprimento da Lei de Acesso à Informação por diversas instâncias públicas.

Brecha

“Passada uma década, não obstante sua relevância para o controle social e o regime democrático, ainda encontramos limitações injustificadas ao acesso a informações que são públicas”, diz o presidente da entidade, Cezar Miola.

Publicação simultânea com a Folha de São Paulo

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS