Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

Clandestino

| 18/06/2020, 08:03 08:03 h | Atualizado em 18/06/2020, 08:07

Um dos principais assessores do ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, está atuando sem vínculo oficial com o governo. O empresário Airton Soligo, conhecido como Cascavel, tem viajado com o ministro, feito reuniões com governadores, mas não foi nomeado para nenhuma função.

Ele tem sido indicado por Pazuello aos secretários de Saúde como o responsável por receber demandas. Cascavel não tem formação médica. A pasta deu duas versões sobre a atuação do empresário.

Surpresa
Ao Painel, por telefone, Cascavel disse não ter começado a trabalhar na pasta e que ainda estava pensando no tema. E desligou. Secretários se disseram espantados ao saber que ele não tem vínculo formal com o governo. Um deles disse que o empresário tem até ramal no ministério.

Justiça
Em Roraima, ele é apontado como participante de rede de empresários que promoveu a candidatura do governador bolsonarista Antonio Denarium (sem partido, deixou o PSL para acompanhar Bolsonaro na Aliança pelo Brasil) em caso de abuso de poder econômico.

É ou não?
Na última sexta-feira (12), Cascavel apareceu na agenda de Pazuello como participante de encontro com Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Inicialmente, a assessoria de imprensa da pasta disse ao Painel que ele não era funcionário e que não compareceu à reunião. Concluiu que, como não era funcionário, se tivesse aparecido, teria sido como convidado do deputado.

É
Após o Painel apresentar novas informações sobre Cascavel, informou que ele tem atuado como “conselheiro” de Pazuello e tem “colaborado, eventualmente e a convite, em agendas de viagem, sem recebimento de diárias”. Acrescentou que ele atua a convite do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, como ex-prefeito.

Visita
O deputado estadual Capitão Alden (PSL) invadiu o hospital de campanha Riverside, localizado em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador, na Bahia, na tarde de ontem. O local é dedicado ao tratamento de pacientes com coronavírus.

Registro
Segundo relato do governo baiano, Alden, que é policial militar, aparentava estar armado e ameaçou dar voz de prisão aos funcionários. Ele nega. Na semana passada, Jair Bolsonaro incentivou seguidores a filmar oferta de leitos em hospitais.

Parceria
O senador Major Olímpio (PSL-SP) afirma que existe acordo entre Bolsonaro e Davi Alcolumbre (DEM-AP) para recondução à presidência do Senado. Ele diz se tratar de solução que satisfaz o Senado e o Presidente que, segundo ele, “não acharia com facilidade alguém tão cordato”. A recondução teria que ser autorizada por proposta de emenda constitucional.

Aviso
Fora da Secretaria de Esporte de Alto Rendimento, o campeão olímpico Emanuel Rego disse ter ficado sabendo da sua exoneração pelo Diário Oficial. “Não tive explicação ainda sobre a decisão”, afirmou ao Painel. Aliados do ex-atleta dizem que as críticas da esposa, a senadora Leila (PSB-DF), contribuíram para a demissão.

Palavra
“Prefiro acreditar que os motivos tenham sido outros. Eu e Leila sempre tivemos trajetórias independentes, sem influências em nossas decisões. Sempre priorizei as questões técnicas para realizar as políticas públicas esportivas”, respondeu.

Bola...
Dirigentes de clubes ficaram irritados com o anúncio do governo de SP de que os treinos poderão retornar apenas em 1º de julho. A avaliação é que João Doria (PSDB) tomou a decisão para se contrapor a Bolsonaro .

...nas costas
As conversas em andamento davam conta de que as atividades voltariam até a próxima segunda. Os cartolas dizem acreditar que, ao ver Bolsonaro usando o futebol como palanque, com Felipe Melo e Alexandre Pato na posse do ministro Fábio Faria, o tucano mudou de planos.

Régua
“Não sei que área médica o governador está seguindo. Libera shopping e não libera o treino com CT fechado. Precisa explicar qual meio ele está se guiando”, disse Andrés Sanchez, presidente do Corinthians. Doria reagiu, chamou o dirigente de mal informado e disse que a decisão seguiu critérios técnicos.

Tiroteio

“Carla Zambelli é cartomante de circo. Ela perde tempo em sacanear os outros em vez de trabalhar sério.”

De Alexandre Frota, deputado federal (PSL-SP), sobre a parlamentar, que também acabou sendo alvo de operação da Polícia Federal.

MATÉRIAS RELACIONADAS