Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Painel

Painel

Colunista

Folha de São Paulo

As eleitas

| 21/10/2020, 08:22 08:22 h | Atualizado em 21/10/2020, 08:24

A revolta de mais de um terço dos candidatos a vereador do PSL em BH não se restringe à capital mineira. Além da ex-mulher de Marcelo Álvaro Antônio, que disputa uma vaga de vereadora e recebeu R$ 690 mil da verba do partido, outra campeã de recursos é Delegada Sheila, candidata à prefeitura de Juiz de Fora, com R$ 1,17 milhão.

Ela faz dobradinha com o deputado Charlles Evangelista (PSL-MG), presidente formal do PSL-MG e integrante do grupo político comandado por Álvaro Antônio.

Menos
O presidente do PSL da cidade de Belo Horizonte, Jandir Siqueira, minimiza o risco de implosão no partido e não esconde a participação do ministro. “Falo para eles, ‘gente vamos fazer campanha sem se preocupar com quem recebeu mais ou menos’. A lei não diz que tem que ser igualmente para A, B e C”, afirma.

Padrinho
“Foi o Marcelo Álvaro quem indicou transferir da sua cota pessoal para Janaína”, justifica. “Mas todos esses vão receber, é só questão de tempo.”

Liminar
Sem dinheiro, as candidatas Ana Granata e Daniela Fiúza ameaçam ir à Justiça. Daniela aponta que a desmoralização de sua candidatura não é só financeira. Dentista, ela é mulher de Ailton Lira, o Liminha, diretor de palco de Sílvio Santos no SBT. Ele foi vetado do horário eleitoral.

Veto
“Justificaram que é pelo fato de o Liminha ser famoso, que seria desigual. Mas é igual competir com R$ 500, enquanto uma só candidata recebe R$ 690 mil”, diz Daniela.

Quase igual
Liminha teve de voltar ao trabalho e ela recorreu a um sósia para desfilar pelas ruas de BH. “O Liminha é o meu companheiro e meu principal cabo eleitoral”, reclama.
O presidente do PSL rebate. “Liminha, na televisão, fica desigual, sim. Seria o mesmo que a Janaína fazer sua propaganda com o Marcelo.”

É coisa…
Ao visitar o Senado para articular votações do interesse de sua pasta, Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional, foi saudado por Davi Alcolumbre (DEM-AP) como “um amigo do parlamento brasileiro”.

...pra se guardar
“Hoje, no Executivo, tem recebido todos os parlamentares, e quero dar o testemunho do apreço que vossa excelência tem pelo parlamento brasileiro”, anunciou o presidente do Senado no plenário. Marinho submergiu desde a última crise com Paulo Guedes.

Derramado
A gestão João Doria (PSDB) pretende reduzir em 21% as despesas com o programa Vivaleite em 2021, de acordo com a proposta orçamentária enviada à Assembleia Legislativa.

Contas
Em 2020, a projeção foi de investir R$ 182 milhões na distribuição de leite para crianças e idosos da população mais pobre. Para 2021, o valor caiu para R$ 143 milhões. A análise foi feita pelo deputado Paulo Fiorilo (PT).

Outro lado
Em nota, a Secretaria de Desenvolvimento Social afirma que o Vivaleite irá atender o mesmo número de beneficiados no próximo ano, mas com economia de recursos por meio de renegociação de contratos e redução de custos operacionais.

Missão
A ex-prefeita Marta Suplicy será coordenadora do “Movimento Covas Prefeito” na campanha do tucano à reeleição em São Paulo. O MCP terá como papel buscar apoios suprapartidários para a campanha entre artistas, intelectuais, empresários, advogados, pesquisadores e professores.

Material
Esses apoiadores deverão participar de debates sobre São Paulo e enviar depoimentos que serão apresentados nas redes sociais da TV Frente Ampla, ainda a ser lançada. Marta deixou o Solidariedade para apoiar Covas – o partido aliou-se a Márcio França (PSB).

Fala
Gestores de segurança pública do Nordeste pediram apoio ao Ministério da Justiça para a recriação de um conselho regional para tratar do tema. O pleito foi apresentado ontem em Natal (RN) durante encontro promovido pela Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública). O órgão tem feito reuniões pelo País para ouvir demandas.

Régua
Em 2019, decreto de Jair Bolsonaro extinguiu dezenas de conselhos. O governo manteve apenas 32 órgãos colegiados em funcionamento.

Tiroteio
“Bolsonaro queimou uma indicação para o STF agradando ao centrão e agora Moraes será o relator do inquérito”.
Do Vem Pra Rua, sobre a redistribuição no STF do inquérito sobre interferência na PF, que ficaria com o substituto de Celso de Mello.

MATÉRIAS RELACIONADAS