Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Opinião Econômica

Opinião Econômica

Colunista

Força das mulheres nas cooperativas capixabas

Coluna foi publicada nesta sexta-feira (08)

Carlos André Santos de Oliveira | 08/03/2024, 10:52 10:52 h | Atualizado em 08/03/2024, 10:51


Imagem ilustrativa da imagem Força das mulheres nas cooperativas capixabas
Carlos André Santos de Oliveira é diretor-executivo do Sistema OCB/ES e vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/ES |  Foto: Divulgação

A participação feminina está em expansão no cooperativismo capixaba. Elas já representam 59,4% dos 11.500 colaboradores empregados pelo modelo de negócio. Já quando se fala em cooperados, as mulheres correspondem a 40,4% dos 618 mil cooperados pessoas físicas. No total, somando pessoas jurídicas, já existem 747 mil cooperados no Espírito Santo. É o que aponta a quarta edição do Anuário do Cooperativismo Capixaba.

Esses dados mostram que o incentivo à participação de mais mulheres nas cooperativas está tendo um efeito positivo, principalmente quando se trata da promoção da equidade de gênero e da construção de uma sociedade mais justa e igualitária. E esse é, sem dúvidas, um dos objetivos do movimento cooperativista.

Ainda de acordo com informações do anuário, o crescimento exponencial da participação feminina também é notado nos cargos de direção e gerência das cooperativas do Estado.

Atualmente, elas ocupam 51,2% dos cargos de direção e gerência, fator que influencia diretamente na aplicação de uma gestão mais humanizada e inovadora.

A inclusão significativa é reflexo do diferencial dos ideais e valores cooperativistas. Ela acontece porque o cooperativismo conta com um princípio básico: o de adesão voluntária e livre. Isso significa que, no movimento cooperativista, todos são bem-vindos, ou seja, não há discriminação por sexo, raça, classe, crença ou ideologia.

Além disso, a atuação do cooperativismo vem impulsionando cada vez mais o protagonismo feminino por meio da realização de encontros, programas, comitês e diversas outras iniciativas.

No Espírito Santo, o Sistema OCB/ES, organização estadual que representa e defende os interesses das cooperativas capixabas, é responsável por implementar essas políticas, que contribuem para o aumento do protagonismo feminino na sociedade.

Uma delas é o fomento à formação de núcleos femininos, iniciativa que a cada ano que passa se torna mais valorosa para as mulheres cooperativistas. Prova disso é que hoje existem oito grupos constituídos, ligados a sete cooperativas capixabas.

Os núcleos contemplam 22 municípios do Estado e atendem 231 mulheres. Esse alcance possibilita a abertura de novos horizontes dentro do universo cooperativista, dando voz ao público feminino.

Ações como essa permitem que as mulheres consigam expressar as suas ideias e mostrar o seu potencial no dia a dia das organizações, de modo a se tornarem pessoas inspiradoras para gerações futuras.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

SUGERIMOS PARA VOCÊ: