Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira

Colunista

Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

| 15/03/2021, 11:13 11:13 h | Atualizado em 15/03/2021, 11:21

A bola fora de Gabriel Barbosa, quebrando o isolamento social com práticas de delitos que o levaram a detenção policial, nos afeta naquilo que temos de mais recorrente: a mania de incensar bons jogadores. O artilheiro do Flamengo, herói de conquistas já históricas obtidas nos últimos dois anos, não deveria ser recriminado por ter se aglomerado junto a apostadores de um cassino clandestino da noite paulistana.

Ele é apenas mais um na esteira que enfileira os jogadores de futebol que, nas últimas décadas, fizeram a independência financeira. Em países mais sérios, Gabriel Barbosa só seria liberado sob pagamento de fiança pesada e repreendido severamente por seu empregador. Mas aqui não faltarão quem afague sua cabeça...

Flamengo 0 x 1 Fluminense

O lateral Igor Julião, deslocado pelo meio, acertou um chutaço de fora da área aos 37m do segundo tempo e deu a vitória aos tricolores num Fla-Flu dominado pelos rubro-negros.

Golaço à altura da magia do clássico. O Flamengo teve mais volume, num sistema de jogo bem ajustado, mas errou demais na fase ofensiva. Se tivesse mais eficiência nas tomadas de decisão, encheria de orgulho o técnico Maurício de Souza.

Ditou o ritmo nos primeiros 45 minutos, e impressionou pela mobilidade e repertório ofensivo: jogadas pelas laterais, tentativas de infiltração pelo meio e marcação adiantada que forçava o erros dos tricolores. Mas quis o destino que o estreante Roger Machado achasse meios de mexer no ímpeto tricolor com suas alterações. Não assumiu o domínio, mas equilibrou a disputa pela boa. E numa dessas Igor Julião mudou o desfecho do clássico.

Botafogo 0 x 0 Bangu

Natural que o time alvinegro encontrasse dificuldades para encaixar a estratégia de Marcelo Chamusca diante de um oponente empenhado em proteger o seu goleiro com duas linhas de quatro.

O Botafogo está sendo treinado para ser um coletivo forte no bloqueio e veloz na subida ao ataque. E diante de adversários retrancados terá dificuldades para se fazer protagonista. Ao menos enquanto Chamusca não tiver um jogador que faça o papel que era exercido por Bruno Nazário.

Vasco 2 x 2 Nova Iguaçu
Atrasado em seu planejamento, como já dissemos aqui, o Vasco tropeçou de novo na caminhada que tem como objetivo o retorno à Série A do Brasileiro.

O time teve um pouco mais de ímpeto, mas ainda faltam coordenação e consistência. A entrada de Ernando e Marquinhos Gabriel modificaram muito pouco o padrão.

Talvez a partir da estreia do lateral Zeca e da chegada de um meia com capacidade de organização, Marcelo Cabo possa dar um sistema mais competitivo.
 

MATÉRIAS RELACIONADAS