Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira

Colunista

Minhas impressões

| 20/01/2020, 08:43 08:43 h | Atualizado em 20/01/2020, 08:46

Primeira rodada do Estadual do Rio, times ainda em fase de montagem, muitas deficiências e poucas virtudes. Está aberta oficialmente a temporada do futebol 2020 e tenho a percepção de que os clubes cariocas já entenderam que a primeira competição do ano é, definitivamente, um importante e nostálgico torneio de pré-temporada. E que assim seja!

Cabofriense 0 x 1 Fluminense
É grande o risco de precipitação na avaliação na primeira atuação do time sob a direção de Odair Hellmann. Mas é enorme também a satisfação de ver o Fluminense mesclando juventude e experiência com a relativa eficiência demonstrada nos primeiros 45 minutos do jogo em Bacaxá.

A equipe ainda não é a que será considerada titular, mas a volta do zagueiro Matheus Ferraz com boa atuação, a estreia do volante Hudson com assistência e o gol de Nenê sinalizam que o técnico tricolor já idealizou um tripé.

Vasco 0 x 0 Bangu
Apesar da intensidade, com uma elogiável postura ofensiva, o time que Abel Braga levou a campo evidenciou a necessidade da renovação com o colombiano Fredy Guarín.

Os jovens valores vascaínos têm qualidade, mas precisam de um meia mais experiente na organização. Não só visando o Campeonato Carioca, mas a construção de um time para a temporada.

O Vasco tem de pagar suas dívidas, mas não pode esquecer do seu peso histórico e do contexto em que está inserido. Fica a dica.

Volta Redonda 1 x 0 Botafogo
A estreia fora de casa diante de um adversário bem trabalhado não é missão confortável para time nenhum. Imaginem para um Botafogo ainda desfigurado, formado por ex-juniores sem ritmo de competição.

O 1 a 0 não refletiu a melhor atuação do Volta Redonda, mas o que mais deve ter incomodado os alvinegros foi a carência ofensiva do time do auxiliar Bruno Lazaroni.

Macaé 0 x 0 Flamengo
O mais interessante neste jogo, que deveria ter sido fora do Rio de Janeiro, foi ver os jovens recém-promovidos da categoria sub-20 do Flamengo encarando a partida com ousadia e alegria.

E não é clichê: o time de Maurício de Souza encarou o desafio de representar o campeão com a vontade de jogar um futebol de boa qualidade. E o fez.

É claro, pecou em diversos pontos. Mas feio não foi. Os rubro-negros estiveram perto de vencer e deixaram boa impressão.

MATÉRIAS RELACIONADAS