Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira

Imagem do colunista Gilmar Ferreira

Tribuna Online

Minhas impressões...

15/11/2021 08:42:00 min. de leitura

Estou ainda consegui entender os motivos que levaram a CBF a adiar para o dia 2 de dezembro a partida entre Bahia e Atlético-MG, marcada para ontem. De qualquer forma, sua não realização igualou o número de jogos do Flamengo e a leitura da disputa pelo título fica mais clara. A diferença é de oito pontos, com 21 a jogar. É possível virar o fio? Sim. No entanto, os jogos dessa 32ª rodada  foram de tanta pobreza estética que a emoção parece estar na luta de Grêmio, Santos e São Paulo contra a queda à Série B…

São Paulo 0 x 4 Flamengo

Arão e Andreas “caçando a bola” bem próximo a área do São Paulo; Renê e Matheuzinho bloqueando os corredores laterais acima da linha do meio-campo; e a linga ofensiva com Everton Ribeiro, Gabriel, Bruno Henrique e Michael alinhada entre os volantes e zagueiros adversários. O Flamengo de Renato massacrou o frágil São Paulo de Rogério Ceni no Morumbi. Time compacto, com marcação alta, bem organizado na defesa, controlou o jogo sem dar a mínima chance adversário.

Fluminense 2 x 1 Palmeiras

Ainda sem um meia de criação que lhe ofereça o mínimo de lucidez na organização das jogadas ofensivas, Marcão se vira em busca de um formato competitivo. Perdeu o primeiro tempo, com Jhon Árias e Caio Paulista fazendo o balanço pelos lados, mas se reequilibrou e virou no segundo tempo à partir da entrada de Gabriel Teixeira e Lucca, fundamentalmente com a presença de Cazares e John Kennedy. Os dois gols de Yago Felipe coroaram a aplicação e de um time valente.

Ponte Preta 0 x 0 Botafogo

Não foi fácil segurar os donos da casa que ainda jogam para fugir do Z-4. Mas o líder da Série B cresceu de tal forma que talvez tenha hoje um dos mais sólidos sistemas defensivos, com três gols sofridos nos últimos dez jogos. Não foi um confronto com virtuosismo, mas de desenfreada correria. E o time de Enderson Moreira saiu-se bem, com chances de sair com os três pontos. A vitória sobre o Operário-PR hoje sacramenta, matematicamente, o retorno à Série A.

Vasco 0 x 3 Vitória

Novamente vulnerável, com apenas um volante de contenção e baixa autoestima, o time de Fernando Diniz não resistiu mais do que dois minutos. Entregue e desorganizado, ficou longe de parecer o conjunto medianamente articulado que chegou a empolgar os torcedores. Levou mais dois gols no segundo tempo e encerrou a era Diniz em São Januário de forma melancólica e deprimente. O time volta a campo hoje para cumprir tabela contra o Vila Nova.