Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira

Colunista

Gilmar Ferreira

Craque coadjuvante

| 11/12/2019, 08:10 08:10 h | Atualizado em 11/12/2019, 08:11

Apesar da fase de bonança, a diretoria do Flamengo tem se esforçado para não deixar que o sucesso alcançado em 2019 impacte no orçamento de 2020.

Lembram que comentei por aqui situação de dois titulares cujos representantes já acenavam com valorização de seus clientes acima da expectativa do clube?

Pois então... as conversas que com Éverton Ribeiro evoluíram, travaram com Gabriel Barbosa. E já não foi à toa que o suposto interesse na contratação do ex-tricolor Pedro, hoje na Fiorentina, voltasse ao noticiário.

Éverton Ribeiro, contratado ao Al-Hilal em junho de 2017, recebe bem abaixo dos principais destaques do elenco. E apesar de o acordo ir até maio de 2021, o agente do meia pediu a reforma do contrato, abrindo conversas para a prorrogação até 2023, com a merecida equiparação salarial.

Na época, Paolo Guerrero e Diego Ribas eram os únicos mais bem remunerados.

Com a montagem do novo time no início do ano, a remuneração de Éverton Ribeiro ficou abaixo a de quase todos os jogadores contratados pelo Flamengo.

Aos 30 anos, o paulista de Arujá talvez seja hoje um dos mais vitoriosos do elenco rubro-negro — pelo menos em títulos conquistados no País e no continente.

Jogador capaz de exercer funções defensivas e ofensivas com semelhante eficiência, Éverton Ribeiro tem quatro títulos do Brasileiro (um pela Série B), uma Libertadores e três Estaduais — fora presença em três finais da Copa do Brasil e uma Sul-Americana.

E tem ainda os títulos conquistados com o Al-Hilal nos Emirados: duas Supertaças, uma Taça da Liga e uma Liga do Golfo.

É, sem dúvida, um dos jogadores mais estratégicos do time de Jorge Jesus e chega a ser até injusto o papel de coadjuvante a que ficou relegado em meio a Arrascaeta, Gabriel Barbosa e Bruno Henrique: chuta, cruza, dribla, quebra linhas, fecha corredor e ainda joga pelos dois lados.

Faz muito bem o Flamengo em antecipar a prorrogação do contrato.

Seleção
Louvável o esforço feito pela mídia em geral para não eleger o time todo do Flamengo na votação que apontou os melhores desta edição do Brasileirão.

A presença do goleiro Santos, que sofreu 21 gols em 28 jogos do Athletico/PR é até aceitável. Mas o voto em Bruno Guimarães não pareceu justo.

Por melhores que tenham sido as atuações do volante do time paranaense, Willian Arão fez um Brasileiro primoroso.

MATÉRIAS RELACIONADAS