Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira

Colunista

A treta de Lisca

| 06/08/2021, 10:59 10:59 h | Atualizado em 06/08/2021, 11:01

Foi realmente bastante esquisita a arbitragem do gaúcho Anderson Daronco no jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil em que o São Paulo eliminou o Vasco. E não falo só com base nos lances interpretativos, todos discutivelmente contrários ao clube carioca. A expulsão de Lisca já nos acréscimos parece mostrar que Daronco ainda não digeriu as declarações de 29 de janeiro, quando então treinador do América/MG fez severas críticas ao departamento de arbitragem da CBF, queixando-se de erros que deram a Chapecoense o título da Série B.

“Seu Anderson Daronco, meu amigo, meu conterrâneo. Eu vi o pênalti que o senhor apitou agora, aos 52 minutos, para a Chapecoense. Que vergonha! O senhor tem que ter vergonha do que está fazendo na sua carreira. Que pena que você fez isso”, esbravejou, diante das câmeras, referindo-se ao árbitro que em Santa Catarina havia acabado de apitar a vitória de 3 a 1 da Chapecoense sobre o Confiança, marcando pênalti claro a favor da Chape, nos segundos finais dos acréscimos.
O gol de Anderson Ramon tirou o título dos mineiros e consagrou os catarinenses.

Naquela noite, a metralhadora de Lisca atingiu também o árbitro Flávio Rodrigues e o auxiliar Evandro de Melo, que validaram o gol do Avaí, marcado por Getúlio, em posição duvidosa, e também a árbitra Edina Alves e o auxiliar Anderson de Moraes, dupla que, nos acréscimos e erroneamente, invalidou um gol do atacante Ademir no 2 a 2 entre América/MG e Chapecoense pela 30ª rodada, em 20 de dezembro. Lembrando que o América/MG ficou sem o título por diferença de um gol no saldo (21 a 20).

Totalmente fora de controle, sem o amparo de dirigentes ou até mesmo de um executivo de futebol, Lisca assumiu postura de enfrentamento pediu ao departamento de arbitragens da CBF, e chegou a pedir a saída de Leonardo Gaciba, o chefe da pasta.

“Seu Gaciba, abandona, velho! Tu não tens condição nenhuma de dirigir nada. Teu quadro de árbitros foi uma vergonha. Vocês decidiram o campeonato da Série B para um time. Erros em cima de erros, e mais erros...”

Enfim, o destempero do agora treinador do Vasco, somado ao comportamento “sincerão” da noite do dia 3 de março, quando criticou a CBF por seguir com a disputa da Copa do Brasil em meio à pandemia caminhava para a marca de 500 mil mortos no Brasil, pode ter gerado uma justificável antipatia.

Desde então, Lisca só venceu uma das nove partidas válidas por competições da entidade. Eu, hein.

MATÉRIAS RELACIONADAS