Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Fonte Grande

Fonte Grande

Colunista

Luiz Trevisan

Barreira financeira no Contorno do Mestre Álvaro

| 04/10/2020, 09:02 09:02 h | Atualizado em 04/10/2020, 09:24

A visita ao Estado do ministro da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas, nesta segunda-feira (5), é aguardada com expectativa pela bancada federal e lideranças.

Pode ser a esperada ponte de crédito suplementar para manter a obra da Rodovia do Contorno do Mestre Álvaro, na Serra. Orçada em R$ 290 milhões, teve os primeiros R$ 100 milhões obtidos por emendas de bancada.

Com a pandemia drenando recursos para outros setores, teme-se a paralisação por falta de verba. A manobra dos parlamentares é garantir à obra recursos do próprio Ministério da Infraestrutura.

Obra atípica
Quem percorre os 19 quilômetros do Contorno do Mestre Álvaro fica surpreso com a velocidade da obra, diferentemente de outras. Se não faltar combustível financeiro, acaba até fins de 2021.

Bora pensar 2021
Se depender do secretário de Educação de Cariacica, José Roberto Martins Aguiar, o JR, não tem mais polêmica sobre a volta das aulas presenciais. Após consultas e avaliações, concluiu: a três meses do final do período, sem vacina e inúmeros protocolos a cumprir, em meio ao abismo das condições das escolas públicas e particulares, melhor pensar em 2021. “Até lá, teremos tempo para adequações e introduzir o sistema híbrido”, opina.

Brigas de galo
Nova lei que protege cães e gatos dos maus-tratos deveria incluir os galos. Conhecido despertador natural – embora alguns pareçam tresnoitados pela pandemia –, há tempos os galos sustentam clandestinas rinhas de briga. Na Serra, por exemplo, é quase uma instituição.

Perfis do isolamento
Do governador Renato Casagrande, em conversa descontraída: “Tem gente que não suporta mais isolamento, e tem gente que só quer sair do isolamento lá em 2050”.

SOL DE PRIMAVERA

Flagrante do amanhecer junto ao píer de Iemajá, na Praia de Camburi, Vitória
Flagrante do amanhecer junto ao píer de Iemajá, na Praia de Camburi, Vitória |  Foto: Luana Amorim
Flagrante do amanhecer junto ao píer de Iemajá, na Praia de Camburi, Vitória, feito por leitora afiliada da coluna. E com oportuno comentário: “Para amenizar tantas imagens de queimadas e decisões ambientais que colocam em risco mangues e restingas”. Boa, Luana.

Rio Doce abaixo
O prefeito de Colatina, Sergio Meneguelli, revela que ficará neutro na sua sucessão, que conta com 10 concorrentes e vários interessados no seu apoio. Excetuando o ex-prefeito Guerino Balestrassi (PSC) e o ex-deputado Genivaldo Lievore (PT), os demais são estreantes no páreo.

Tendência imobiliária
Sucesso em São Paulo, vem aí, localizado na Serra, o primeiro empreendimento vertical num condomínio horizontal dotado de serviços básicos. Segue a tendência valorizada pela pandemia: o espaço mais importante que localização. É para quem tem bala na agulha, pois a unidade mais barata beira R$ 500 mil.

Plantio no Convento
Ambientalista Luiz Fernando Schettino sobe hoje o Convento da Penha com a filha Pietra e a mulher Maria Leila, para plantar muda de jequitibá-rosa, por lei a árvore símbolo do Estado. A data foi por ser o dia de São Francisco de Assis, “símbolo de fé e devoção à natureza”, frisa.

Curta

EDITAIS DE CULTURA Os editais 2020 da Secult serão apresentados ao Conselho Estadual de Cultura, na próxima quinta-feira. Devem ser lançados em breve.

CAMINHO DAS PEDRAS Exposições digitais, eis a palavra de ordem entre comerciantes de rochas ornamentais, para recuperar vendas. O Espírito Santo responde por 40% da produção nacional e 82% das exportações brasileiras.

O TEMPO PASSA, O TEMPO VOA... E a eleição municipal em Presidente Kennedy continua longe de estar numa boa. Ficha de certos candidatos é de arrepiar.

CIDADE DAS LETRAS... Atento, Marílio Cabral registra que São José do Calçado tem outros notáveis escritores, como Geir Campos, Marcos Alencar e José Carlos da Fonseca.

...TRADIÇÃO Coluna já apontou alguns destaques nascidos lá, como Pedro J. Nunes, Fernando Tatagiba e José Costa.

FILOSOFIA NA PANDEMIA “Voltar ao vermelho no mapa da Covid-19 é desolador”, entreouvido numa feira livre repleta de gente sem máscara.

MATÉRIAS RELACIONADAS