Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doutor João Responde

Doutor João Responde

Colunista

Dr. João Evangelista

Síndrome de Down e a ternura

| 09/03/2021, 09:07 09:07 h | Atualizado em 09/03/2021, 09:13

O impacto do diagnóstico de um bebê com síndrome de Down pode trazer à tona sentimentos de medo, culpa, tristeza, vergonha e insegurança.

Cada pessoa tem uma forma peculiar de lidar com esses sentimentos, mas o amor e a responsabilidade são capazes de romper qualquer dificuldade.

Importante lembrar que a síndrome de Down é uma condição genética, não uma pessoa.

O corpo humano é composto de células que contêm cromossomos localizados no seu núcleo. Estas estruturas transmitem a informação genética do indivíduo, como por exemplo, tipo sanguíneo, cor dos olhos, cabelos, etc.

Denominadas células reprodutivas, cada óvulo e espermatozoide contêm 23 cromossomos.

Durante a fecundação, o ovo fertilizado contém 46 cromossomos, sendo 23 do óvulo e 23 do espermatozoide, dando origem à criança.

Este novo ser terá 46 cromossomos em todas as suas células, metade deles herdado do pai e metade herdado da mãe.

Na Síndrome de Down, ocorre um erro na divisão celular, resultante da presença adicional de um terceiro cromossomo, conhecido como trissomia do par 21.

Na maioria das vezes, o erro ocorre na formação do óvulo ou espermatozoide, que passa a ter um cromossoma a mais.

Nessa situação, o ovo fertilizado dará origem a um indivíduo com 47 cromossomos em suas células.

Embora apresentem deficiências intelectuais e de aprendizado, pessoas com síndrome de Down têm personalidade única, estabelecendo boa comunicação, além se serem sensíveis e interessantes.

Quanto maior o estímulo dado a essas crianças durante a infância, menor o nível de presença dos sintomas.

Embora essa trissomia ocorra principalmente nos seres humano, já foram encontrados também em outras espécies de mamíferos, como chimpanzés e ratos.

A síndrome de Down é um acidente genético que acontece no momento da concepção, em 95% dos casos. Com o avanço da idade materna existe uma maior probabilidade de gestar um bebê com alterações cromossômicas, como a síndrome de Down, principalmente acima de 35 anos de idade.

Isso acontece porque os folículos que darão origem aos óvulos da mulher já nasce com elas, e células mais velhas têm maiores chances de terem erros durante seu processo de divisão, o que pode causar a presença de um cromossomo a mais ou a menos, nos óvulos.

Pessoas com síndrome de Down apresentam olhos pequenos e amendoados, mãos com uma única prega na palma, membros mais curtos, tônus muscular diminuído e língua protusa.

Disfunções orgânicas e de aprendizado podem ocorrer, mas estes variam de criança para criança. Cada indivíduo com síndrome de Down é um ser único.

A deficiência intelectual, com dificuldades de aprendizado, acontece em graus diferentes.
Pessoas com síndrome de Down têm habilidades e limitações, mas se o foco for apenas às limitações, nunca enxergaremos as habilidades.

Nascidos com a virtude de serem autênticos, os portadores da Síndrome de Down se dão bem com a sinceridade. Por isso, eles sorriem com tanta ternura.

MATÉRIAS RELACIONADAS