Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doutor João Responde

Doutor João Responde

Colunista

Dr. João Evangelista

Sempre existe algo pelo qual vale a pena viver e ser feliz

| 21/09/2021, 10:03 10:03 h | Atualizado em 21/09/2021, 10:06

Fenômeno polêmico, o suicídio é recheado por mitos e tabus culturais. Vale ressaltar que 90% das pessoas que tentam suicídios têm um transtorno psiquiátrico.

A maioria dos que cometeram suicídio procurou ajuda médica.

Existe uma crença de que perguntar sobre suicídio para um paciente pode induzi-lo a uma tentativa.

Essa ideia é errada. Muitos deles procuram auxílio como um pedido de socorro. Questionar sobre pensamentos suicidas é um meio de abrir um canal de comunicação sobre os sofrimentos dessas pessoas e de oferecer uma possibilidade de ajuda.

Embora por razões diferentes, em algum momento, muito mais indivíduos do que imaginamos já teve a intenção de cometer suicídio.

Felizmente, na maioria das vezes, é possível evitar que esses aniquilantes pensamentos se tornem realidade.

Suicídio é um gesto de autodestruição. O desejo de dar fim à própria vida é uma escolha ou ação que tem graves implicações sociais. Pessoas de todas as idades e classes cometem suicídio.

No momento em que tem ideias suicidas, o indivíduo combina sentimentos ambivalentes.

A atitude individual de exterminar a própria vida pode ser provocada por vários fatores, entre eles um dilacerante grau de sofrimento, podendo ser verdadeiro ou proveniente de algum transtorno afetivo, como em quadros de psicose aguda ou depressão delirante.

O destino do suicídio é ambíguo, uma vez que, diante dele, o indivíduo quer acabar com a dor, a angústia, o sofrimento que vivencia, e não com a vida em si.

Fragilizado pelos torturantes conflitos intrapsíquicos que o perturbam demasiadamente, o indivíduo só consegue, como recurso, ver a morte.

É possível afirmar que o suicida, inconscientemente, se vinga de outras pessoas que o rodeiam, principalmente seus familiares, como se atribuísse a esses a culpa de sua morte, com o intuito de revidar alguma agressão proveniente deste ambiente.

Desgosto pela vida e insucesso amoroso são ingredientes de quadros depressivos que podem turbinar ideias suicidas.

Diante de qualquer manifestação de intenção ou ideação de suicídio, é necessário que as pessoas que estão em volta percebam, pois na, maioria das vezes, o indivíduo que suicida anuncia antecipadamente seu intento.

Acreditando que não existem soluções para seus problemas, o indivíduo que pensa em suicídio pode evoluir para tentativa e consumação do ato.

Sentimentos de solidão e tristeza, assim como a sensação de que eles não têm solução, aumenta a probabilidade de pensamentos suicidas, como se fosse a única forma para acabar com o sofrimento.

Apesar de tudo, sempre existe algo pelo qual vale a pena viver, deixando de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.

O suicida deve lutar para desistir de desistir. Está tudo bem em lamentar e chorar. Vale tudo, menos desanimar. Muitas vezes, é a última chave no chaveiro que abre a porta.

Ó, vítima de si mesmo! Não deixe que seu desespero tome decisões por você. É no final da noite, que encontramos a luz da aurora.

MATÉRIAS RELACIONADAS