Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Doutor João Responde

Doutor João Responde

Colunista

Dr. João Evangelista

Causas de hemorroidas

| 11/02/2020, 07:51 07:51 h | Atualizado em 11/02/2020, 08:37

Hemorroidas têm atormentado o homem desde tempos imemoriais, quando este tomou a postura ereta, uma vez que essa enfermidade só é encontrada na espécie humana.

Existem referências dessa disfunção no Velho Testamento. No livro de Samuel consta a seguinte passagem: “a ira de Deus cairá na forma de hemorroidas contra os filisteus por roubarem a Arca da Aliança”.

Na Idade Média, a palavra hemorroida era tida como deselegante, passando a ser denominada “Mal de São Fiacro”, considerado padroeiro dos proctologistas. Conta-se que este santo era exímio jardineiro, obtendo flores e frutos maravilhosos cultivados em seu jardim, além de ser benfeitor dos pobres.

Tal fato despertou inveja no arcebispo local que, como castigo, condenou São Fiacro a permanecer rezando sentado em uma pedra, até a sua morte. Segundo a lenda, a rocha na qual se sentou adquiriu o formato de seu glúteo e passou a ser considerada milagrosa, pois quem nela se sentava obtinha cura para os males relacionados à doença hemorroidária.

Até hoje, essa enfermidade ainda é cercada por fantasias e ideias preconcebidas, dificultando seu tratamento.

Plexo hemorroidário é uma estrutura normal que se localiza no canal retal e ânus. Ele ajuda a manter a continência fecal e realiza a drenagem venosa desta região.

Hemorroidas são dilatações desse plexo. Isto ocorre porque suas veias, ao contrário de outras, não têm válvulas para impedir o represamento e refluxo do sangue e, portanto, qualquer aumento da pressão nelas, propicia o seu ingurgitamento.

Indivíduos que apresentam os tecidos anais e perianais especialmente frágeis e que experimentem aumento de pressão venosa, ou efeito traumático sobre o plexo venoso hemorroidário, são susceptíveis de gerar quadros hemorroidários.

Vários fatores, como constipação intestinal, hipertensão no sistema porta hepático, obesidade, cavalgar durante períodos prolongados, gravidez, sexo anal, tabagismo, uso de álcool ou cafeína precipitam o surgimento de patologia hemorroidária.

Os sintomas mais comuns das hemorroidas são o sangramento, o prolapso e a dor. Quando o processo surge internamente, a dor geralmente está associada à trombose ou à gangrena.

Cuidados clínicos, ligadura elástica, escleroterapia e a coagulação infravermelha são procedimentos utilizados no tratamento da hemorroida. Em determinados casos pode ser necessária intervenção cirúrgica, que consiste na remoção das artérias hemorroidárias da região anal.

De modo geral, hemorroidas evoluem bem quando tratadas adequadamente.
Muitos conhecem a história e os feitos de Napoleão Bonaparte, mas poucos sabem que ele padecia de doença hemorroidária.

Durante anos, o famoso cirurgião francês Guillaume Dupuytren cuidou das hemorroidas do imperador, advertindo que suas longas batalhas montado em Marengo, seu famoso cavalo, pioravam o processo inflamatório.

Sem dúvida, o melhor remédio para Bonaparte foi sua derrota em Waterloo, quando ele parou de cavalgar.

MATÉRIAS RELACIONADAS