Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Coluna do Estadão

Colunista

Coluna do Estadão

Votos tucanos expõem a grave crise do partido

| 13/08/2021, 08:28 08:28 h | Atualizado em 13/08/2021, 08:39

Os recentes votos de parlamentares tucanos na contramão de posições históricas do PSDB são apenas a parte pública da avassaladora crise de identidade e de valores que acomete o partido.

Sob o ocaso das antigas lideranças, os bastidores tucanos viraram de vez uma terra de ninguém onde as leis da conveniência pessoal e da sobrevivência política imperam.

É nesse clima de traições e puxadas de tapete que o partido tenta realizar suas prévias presidenciais, enquanto um grupo ligado a Aécio Neves (MG) trabalha por fora contra a candidatura própria.

Vai vendo... Essa mesma ala tucana, por exemplo, não descarta ajudar a construir a opção Rodrigo Pacheco (DEM-MG) ao Planalto.

Brother. Um dos motivos do boicote ilustra à perfeição a estreiteza política de alguns líderes tucanos: o suplente de Pacheco no Senado, Renzo Braz (PP-MG), é muito próximo de Aécio

Na... Outro motivo: a construção de aliança que inclua o DEM, atual partido de Pacheco, e o PSD, provável destino do presidente do Senado se ele aceitar concorrer ao Planalto.

...vice. Quem trabalha por esse arranjo investe forças e recursos nas prévias em Eduardo Leite, governador do Rio Grande Sul. Ele seria o nome para ser vice de Pacheco ou em qualquer outra chapa presidencial.

Ele não. É senso comum nos bastidores do PSDB que Aécio fará o possível para evitar que o governador João Doria (SP), oponente de Leite, seja candidato a presidente em 2022.

Mas e FHC? Alguém próximo de FHC avisa: ele está firme com o partido, mesmo após ter manifestado apoio a Lula em eventual segundo turno, porém, não quer nem tem forças para negociar alianças ou montar palanques.

Ruído. Em São Paulo, a saída de Geraldo Alckmin do PSDB dispensa comentários sobre o nível de desentendimento no partido.

Na faixa. O MBL distribuirá cerveja a militantes que participarem de um “adesivaço” contra Bolsonaro amanhã. Quem levar comprovante de vacinação contra a covid-19 ganha uma lata extra.

Mão... Com a ajuda de Arthur Lira, Bolsonaro, desta vez, conseguiu mobilizar a sociedade nas redes sociais. O voto impresso foi o tema mais debatido nesta semana, de acordo com a MAP, agência de análise de dados e mídias.

...amiga. O tema concentrou 11,41% dos comentários, com a mobilização de diferentes públicos, ao contrário do que vinha ocorrendo, quando o assunto estava circunscrito à direita.

Lacrou. A opinião pública sem militância política teve participação de 37,17% nos debates sobre o voto impresso no período, em discussões que também tiveram participações de influenciadores digitais de direita (12,46%) e de esquerda (11,51%), assim como da opinião pública identificada com a direita: 10,82%.

Pegadinha. Bolsonaro deixou Lira pendurado no pincel ao continuar criticando a urna eletrônica, após ter dito ao presidente da Câmara que aceitaria o resultado. Lira ficou na chuva no episódio.

CLICK. Amanda Salgado e Antônio Neto, ambos do PDT-SP, em debate de diretórios acadêmicos com o presidenciável Ciro Gomes sobre o ensino superior no País.

Pronto, falei!
"O distritão foi retirado em troca da volta das coligações. Ganhamos uma luta, mas essa volta, entre outras coisas, representa ainda um grande retrocesso”.

MATÉRIAS RELACIONADAS