Login

Atualize seus dados

“Fogo amigo” alveja Tarcísio em primeira crise

11/09/2021 10:31:33 min. de leitura

Tarcísio Freitas viveu ao longo desta semana seu momento mais tenso no governo. Até então queridinho de bolsonaristas e apontado como pragmático na entrega de resultados até por quem não simpatiza com o presidente Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura virou alvo das redes ao se ver envolvido em um pepino da seara ideológica, na qual a tecnicidade tem pouca serventia.

De mãos atadas, Tarcísio foi alvejado pelo fogo amigo dos irmãos caminhoneiros bolsonaristas. Foi o preço por ter subido no palanque incendiário de Bolsonaro na Avenida Paulista.

O que é isso… A avaliação no Planalto é de que o clima pesou sobretudo diante do desencontro de versões sobre o áudio de Bolsonaro pedindo o fim da greve.

...companheiro? Enquanto Tarcísio aparecia em vídeo confirmando a autenticidade do áudio, o deputado aliado Otoni de Paula afirmava a caminhoneiros que era falso. O ministro se sentiu contrariado.

Ajuda. A falta de materialidade na demanda dos caminhoneiros fez o governo correr para se prevenir em mais frentes, enquanto Tarcísio tentava driblar problemas. Desde de quinta-feira, abundam vídeos nas redes com críticas ao governo.

CLICK. Modéstia à parte, Michel Temer não perdeu tempo em compartilhar elogios de apoiadores e imagens da ida para reunião com Bolsonaro: “Lenda. Salvou o dia”.

Pera lá. O Ministério da Justiça chegou a notificar distribuidores de combustíveis sobre possíveis práticas abusivas e risco de desabastecimento nos postos.

Efeito... Bastante caro ao bolsonarismo, o apoio ao Presidente nas redes sociais balançou com a divulgação da nota sobre o STF.

...do recuo... O apoio ao Presidente no público não militante do Facebook e Twitter, que já era baixo (14%), caiu para 11%. Entre perfis de direita, em que Bolsonaro impera, também houve queda: os 97% de apoiadores viraram 91%.

...nas... Entre esses usuários, assuntos como ensino a distância, emprego e saúde mental superaram temas políticos. A greve dos caminhoneiros foi apenas o 7º assunto mais discutido; a nota de recuo, o 13º.

...redes. Somado ao rescaldo da discussão sobre os atos de terça, dia 7, os temas tiveram apenas 21% de apoio entre os perfis analisados – um saldo desfavorável ao governo.

Perfil. O auditor Dagoberto Lemos, que Flávio Bolsonaro quer emplacar como corregedor da Receita, recebe o que a direita chama de “bolsa ditadura” e é simpatizante do PT. Não está fácil a vida dos bolsonaristas.

Tropa... Por trás das versões, a verdade é que Rodrigo Pacheco (DEM-MG) cancelou as sessões do Senado nesta semana porque foi avisado, na própria terça-feira, 7 de setembro, que havia risco de manifestantes bolsonaristas invadirem o Congresso no dia seguinte aos atos.

...de choque. Pacheco orientou o contingente da Polícia Legislativa para proteger os acessos ao prédio. O risco não se confirmou, mas a situação permanecia tensa até a quinta-feira.

Correção. A coluna errou ao afirmar, na quinta-feira, que Gael, de 5 anos, é filho de Ciro Gomes com Giselle Bezerra. Ele é filho do presidenciável do PDT com Zara Castro.

Pronto, falei!

"Depois da tentativa de propina na vacina, dos danos na economia, de tanta gente com fome e de atacar ao Supremo, Bolsonaro quer 'conversar'. Não dá mais”

Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente