Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Coluna do Estadão

Coluna do Estadão

Colunista

Estado de São Paulo

Crédito é ideia do governo e bancos avaliam se vale a pena

| 06/08/2022, 13:27 13:27 h | Atualizado em 06/08/2022, 13:28

A proposta de oferecer crédito consignado a beneficiários do Auxílio Brasil não partiu do setor financeiro, mas do ex-ministro da Cidadania João Roma (Republicanos), hoje candidato ao governo da Bahia, interessado em turbinar o alcance do programa social. 

Neste momento, os maiores bancos do País avaliam se vale a pena operar no segmento, temendo o risco de trincar a própria imagem ao oferecer crédito a uma população vulnerável. Até a Caixa, que vai oferecer empréstimos nessa linha, prevê reforçar a mensagem do crédito consciente aos tomadores. 

Há ainda incertezas sobre qual taxa de juros cobrar, uma vez que os beneficiários hoje atendidos podem amanhã perder os condicionantes que permitiam acessar o programa.

QUEM. O Ministério da Cidadania não quis informar quais são as instituições financeiras que já demonstraram interesse no negócio - ontem o Bradesco afirmou que não deve entrar. No mercado, a aposta é que quatro entidades deverão se engajar, pelo foco no consignado: Banco Pan, Agibank, Safra e Daycoval.

TODOS. Além de Jair Bolsonaro (PL), a Febraban abriu tratativas com representantes da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para convidá-lo para almoçar na entidade. Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT) também serão chamados. Ainda não há data fechada, mas a Febraban havia deliberado fazer todos os encontros em agosto.

ROMARIA. Na semana passada, Paulo Guedes esteve em evento da XP. O ministro acertou participar de outro no BTG, dia 18, junto com Arthur Lira, e também confirmou presença no Santander no fim do mês.

ROLETA. Não estava nos planos de Fernando Haddad (PT) ter a mulher de Márcio França (PSB), a professora Lúcia França, na vice. Até o último minuto, Haddad tentou defender a escolha pela médica Marianne Pinotti. Mas, segundo um interlocutor de Haddad, a recusa de Marina Silva (Rede) à vaga deixou o petista sem argumentos contra a exigência de França.

SOMA. Aliados de Alessandro Molon (PSB) projetam arrecadar mais de R$ 1 milhão com a vaquinha virtual lançada para sua campanha ao Senado. A cúpula da sigla ameaçou excluí-lo da divisão de recursos do fundo partidário em meio ao impasse com o PT, que lançou André Ceciliano ao posto.

SOMA 2. Até as 19 horas de ontem, dia que marcou a abertura da arrecadação, Molon havia recebido R$ 8.917 em 87 doações. O valor equivale a uma média de R$ 102 por contribuição.

CLICK. Geraldo Alckmin (PSB), vice na chapa de Lula, foi recebido na Paraíba por João Azevedo (PSB), candidato à reeleição, após crise desencadeada por aparição de Lula com o rival Veneziano Vital do Rêgo (MDB).

ROLETA. Não estava nos planos de Fernando Haddad (PT) ter a mulher de Márcio França (PSB), a professora Lúcia França, na vice. Até o último minuto, Haddad tentou defender a escolha pela médica Marianne Pinotti. Mas, segundo um interlocutor de Haddad, a recusa de Marina Silva (Rede) à vaga deixou o petista sem argumentos contra a exigência de França.

SOMA. Aliados de Alessandro Molon (PSB) projetam arrecadar mais de R$ 1 milhão com a vaquinha virtual lançada para sua campanha ao Senado. A cúpula da sigla ameaçou excluí-lo da divisão de recursos do fundo partidário em meio ao impasse com o PT, que lançou André Ceciliano ao posto.

SOMA 2. Até as 19 horas de ontem, dia que marcou a abertura da arrecadação, Molon havia recebido R$ 8.917 em 87 doações. O valor equivale a uma média de R$ 102 por contribuição.

SUPERCENTRÃO. O governador Wilson Lima (União), que tenta a reeleição no Amazonas, formalizou coligação com 10 partidos, que incluem o núcleo do Centrão: PL, PP, Republicanos, além de PSC, PTB, Patriota, Avante, PRTB e PMN.

SÓ AQUI. A Secretaria de Fazenda de São Paulo baixou resolução estabelecendo que, a partir de agora, empresas interessadas em pedir benefício fiscal devem buscar exclusivamente o seu balcão, mesmo que já tenham feito pedidos a outras pastas do governo.

Pronto, falei!

"O Rio é um carro numa estrada esburacada perto do precipício. Você não vai entregá-lo a quem nunca dirigiu”. Rodrigo Neves (PDT), Candidato ao governo do Rio, disse sobre Marcelo Freixo, que nunca ocupou cargo executivo

Seu limite gratuito de 15 matérias bloqueadas acabou...
Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos:
Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS