Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Coluna do Estadão

Coluna do Estadão

Colunista

Bancada da bala é o pote de mágoa da vez

| 11/10/2020, 11:32 11:32 h | Atualizado em 11/10/2020, 11:45

Conforme se aproxima do Centrão e do ultrajado “presidencialismo de coalizão”, Jair Bolsonaro segue colocando litros de mágoas nos potes de antigos aliados. O líder da “bancada da bala”, Capitão Augusto (PL-SP), por exemplo, não vai mais insistir em uma das principais agendas da frente: a criação do Ministério da Segurança Pública.

“Desisti de vez. Se tivesse um partido interessado na área, poderia ser (criado), como o (Gilberto, presidente do PSD) Kassab pegou Comunicações. Mas ninguém quer Segurança Pública, não tem orçamento.”

Tem mais. Augusto, aliado de primeira hora de Bolsonaro, disse que “quase” não reconhece mais o presidente. A mais recente decepção, assim como ocorreu com a “bancada da Bíblia”, foi com a indicação de Kassio Marques ao STF.

BBB. A “bancada do boi”, por ora, não tem do que reclamar A Frente Parlamentar da Agricultura, com Tereza Cristina à frente da pasta, passou os últimos dias distante dos desentendimentos com o Planalto.

Ainda... Parlamentares empenhados na articulação do Renda Cidadã alertam: ideias até agora supostamente rejeitadas como fonte de financiamento do programa, entre elas a de usar os precatórios ou parte do Fundeb, por exemplo, podem voltar com força após as eleições municipais.

...pulsa. A avaliação é de que hoje elas estão escanteadas para não desgastar candidatos e parlamentares, porém, sem a pressão das urnas, algumas soluções impopulares serão mais facilmente debatidas.

Eita! Enquanto João Campos (PSB) olha pra trás e não vê adversários no seu encalço, a disputa pela prefeitura do Recife revive antigas rivalidades entre o PT e o DEM, entre Lula e Bolsonaro com Marília Arraes e Mendonça Filho, embolados no segundo lugar das mais recentes pesquisas.

Painhos. Após ter sido acusada de esconder o PT na campanha, Marília postou foto com Lula, que já ensaia baixar no Recife para ajudá-la na busca de votos. Enquanto isso, o ex-ministro da Educação de Michel Temer tem música que diz: “Mendonça é Bolsonaro, Bolsonaro é Mendonça”.

Menos, pessoal. Auxiliares próximos a Jair Bolsonaro se incomodam com o que chamam de “uso indevido” da imagem do presidente no material de candidatos País afora. São poucos, ao menos por enquanto, os que contam com o real apoio dele ou do Planalto.

A candidata a vereadora em São Paulo, Flávia Bellaguarda (Rede)
A candidata a vereadora em São Paulo, Flávia Bellaguarda (Rede) |  Foto: KLEBER SALES/ESTADÃO
CLICK. A candidata a vereadora em São Paulo, Flávia Bellaguarda (Rede) compensará com o plantio de árvores a emissão de poluentes produzida por sua campanha.

Dentro. Enquanto Paulo Guedes vive dias duros no governo federal, outro expoente do pensamento liberal na economia, Hélio Beltrão, do Instituto Mises Brasil, topou o desafio de ser o “Posto Ipiranga” do candidato Arthur do Val (Patriota) à Prefeitura de SP.

Uma boa... Marina Bragante (Rede), Samuel Emílio (PSD), Adriana Vasconcellos (PCdoB) e Chico Rubens Paiva (PSB), todos candidatos à Câmara Municipal de São Paulo, se uniram para criar a “Coalizão Campanha sem Covid-19”.

...ideia. O objetivo é garantir regras justas e seguras para os times de voluntários e contratados das campanhas. “Os candidatos se comprometeram a evitar ao máximo reuniões, comícios e eventos públicos presenciais, focando suas campanhas quase que 100% de forma online”, diz Emílio.


Pronto falei

José Luiz Penna, presidente Nacional do PV
José Luiz Penna, presidente Nacional do PV |  Foto: Divulgação
"O PV recorrerá a todas as instâncias para impedir a destruição do meio ambiente por alguém que tem a incumbência de defendê-lo”, José Luiz Penna, presidente Nacional do PV, sobre Ricardo Salles.

MATÉRIAS RELACIONADAS