Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Coluna do Estadão

Coluna do Estadão

Colunista

Estado de São Paulo

Aliados de Nunes veem Marta de mãos atadas em chapa com Boulos

Coluna foi publicada nesta quarta-feira (10)

Roseann Kennedy, Eduardo Gayer e Augusto Tenório | 10/01/2024, 10:45 10:45 h | Atualizado em 10/01/2024, 10:47

Imagem ilustrativa da imagem Aliados de Nunes veem Marta de mãos atadas em chapa com Boulos
Aliança entre Marta Suplicy e Guilherme Boulos (Psol) para que a atual secretária de Relações Internacionais de São Paulo integre a chapa do psolista nas eleições municipais deste ano parece iminente |  Foto: Gervásio Baptista/Agência Brasil

O entorno do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), calcula o impacto da iminente aliança entre Marta Suplicy e Guilherme Boulos (Psol) para a eleição municipal. Apesar de lamentarem a migração da ex-prefeita para a canoa do rival, em um movimento visto como traição no MDB, aliados entendem que ela estará de mãos atadas: após trabalhar com o prefeito por três anos, não poderá criticar sua gestão na campanha.

Longe de pautas municipais como saúde e educação, Marta ficaria limitada à retórica ideológica, com foco no acordo entre Nunes e o ex-presidente Jair Bolsonaro, a quem ela chama de psicopata. A ex-prefeita negociou com o presidente Lula (pelas costas de Nunes) seu retorno ao PT para ser vice de Boulos, forçando sua demissão.

POR ISSO. No PT, porém, a aposta é que a eleição deste ano terá exatamente tal caráter político-ideológico, reproduzindo a polarização entre Lula e Bolsonaro.

CASAMENTO… Marta agora negocia um encontro presencial para “testar a liga” com Boulos, condição para que a aliança seja, enfim, anunciada. A reunião pode acontecer já nesta semana

…ARRANJADO. Como revelou a Coluna, um dirigente petista vê 99% de chances de Marta ser vice de Boulos. O 1% restante que anularia toda a costura política feita por Lula seria a falta de química no encontro entre os dois, cenário visto como improvável.

TÁTICA. O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), queria agradar ao eleitor nem-nem (nem Lula, nem Bolsonaro), avesso a vândalos, quando decidiu, num primeiro momento, ir ao ato Democracia Inabalada.

VAIVÉM. A estratégia que mirava as eleições de 2026, porém, foi abandonada após pressão do Novo, que busca ser a principal força antipetista do País. Zema acabou desistindo de ir ao ato.

FAZER… O PSB confessa nos bastidores a frustração com a iminente perda do Ministério da Justiça após a saída de Flávio Dino. Ainda assim, não fará qualquer rebelião. “Não apoiamos o governo em função de cargos e temos razões políticas suficientes para continuar apoiando”, disse à Coluna o presidente da sigla, Carlos Siqueira. “Não vejo clima pra isso”, endossou o líder do PSB na Câmara, Gervásio Maia (PB).

…O QUÊ. Apesar de a pasta estar endereçada a Ricardo Lewandowski, o PSB ainda trabalha por Ricardo Cappelli. Se o ex-STF virar ministro, a sigla gostaria que filiados permanecessem no ministério, como o ex-deputado Tadeu Alencar, hoje secretário nacional de Segurança Pública.

TRIAGEM. Depois de ter a popularidade abalada em 2023 com o pente-fino no Bolsa Família, o governo quer concluir a inclusão de novos beneficiários até o fim do ano. “Vamos completar a busca ativa. Falta pouco e temos um cadastro muito atualizado”, disse à Coluna o ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias.

NO MUSEU. Dias reconheceu que o pente-fino no Bolsa Família afetou o governo até julho. “Isso foi superado. As pesquisas, agora, colocam os programas sociais com a maior aprovação.”


Pronto, falei!

"Lula mudou de assunto menos de 24 horas após o ato do 8 de Janeiro: anunciou políticas de preservação da Amazônia e contra o garimpo. Distendeu a relação.” - Miro Teixeira, deputado federal constituinte

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

SUGERIMOS PARA VOCÊ: