Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Colunista

Cláudio Humberto

TSE ignora pedido das Forças Armadas sobre urnas

Jornal A Tribuna | 30/01/2022, 09:12 09:12 h | Atualizado em 30/01/2022, 09:12

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ignorou vários questionamentos, na área cibernética, encaminhado no início de dezembro por uma equipe especializada das Forças Armadas. Os questionamentos eram todos direcionados a processos que envolvem procedimentos técnicos, a transparência e a segurança das urnas eletrônicas. A atitude do TSE, ignorando a demanda, provocou perplexidade nas Forças Armadas.

Desinteresse

Fontes militares estranharam o desinteresse do TSE de esclarecer aspectos técnicos envolvendo um tema que tem defendido.

Pedido reiterado

Na sexta-feira, as Forças Armadas voltaram a pedir esclarecimentos e documentos ao TSE, pendentes de respostas há dois meses.

Recusa, eis a questão

Os militares ainda não consideram o silêncio uma recusa em esclarecer dúvidas sobre segurança e transparência das urnas.

Ainda de recesso

Procurado pela coluna, o TSE diz “estar de recesso” e “o assunto será levado ao presidente”. E que o pedido de informação é sigiloso.

Sem obrigação

Para advogado eleitoral e constitucionalista Paulo Goyaz, o presidente da República “não está obrigado a comparecer a depoimento pois em sendo inquirido – réu – tem inclusive o direito de ficar calado”.

Direito ao silêncio

Além da legislação que dá a Bolsonaro o direito de depor por escrito ou no local que desejar, qualquer cidadão pode se negar a prestar depoimento à polícia. É o direito constitucional ao silêncio.

Maior salário das estatais é da Petrobras, claro

Está na Petrobras, claro, o maior salário de todas as 45 estatais federais bancadas pelo pagador de impostos. Alvo preferencial da turma do PT que promoveu a roubalheira desvendada pela Lava Jato, a petroleira hoje paga salários de até R$ 145,2 mil mensais, sem contar os penduricalhos e a regalias. O grande número de funcionários (48,2mil) derrubou a média salarial, situada em “apenas” R$25,1 mil.

Segundo maior

Entre as estatais sanguessugas brasileiras, a Eletrobras paga o segundo maior salário, que chega a R$93 mil por mês.

Privatização, já

A Cia. Docas do Rio de Janeiro, tão privatizável quanto qualquer outra, paga o segundo maior salário das estatais: R$ 78,7 mil por mês.

Ninguém merece

Uma tal PPSA, estatal de “Administração de Petróleo e Gás”, que toma conta do pré-sal, tem a maior média salarial das estatais: R$ 34,1 mil.

Caiu a ficha

Bolsonaro parece convencido de que, se não destacar o desempenho na vacinação, com mais de 360 milhões de doses aplicadas contra covid, isso não será feito pelos adversários. Já na sexta, o presidente destacou isso à tarde e o ministro Marcelo Queiroga na noite de sexta.

Aéreas sem-noção

Passageiros da Gol entre os aeroportos Santos Dummont e Congonhas receberam aviso para se apresentarem no embarque com três horas de antecedência. Para fazerem um voo com duração de 40 minutos.

Mandando bem

Com quase 71% dos brasileiros com duas doses de vacina no braço, o Brasil vacinou bem mais que os Estados Unidos (62%) e toda a Europa (61%). E já são 170 milhões de brasileiros com ao menos uma dose.

Letalidade baixa, sim

Apesar de a média atual de novos casos de covid estar no maior nível desde o início da pandemia, a média de mortes atualmente é 42% menor que o auge, de janeiro de 2021.

Total 2021

O Brasil aplicou 323,8 milhões de doses de vacinas contra a covid em 2021. Até agora, em 2022, já foram cerca de 19 milhões de doses, segundo dados do Ministério da Saúde.

Inflação

Para a Associação Brasileira de Bancos, a inflação deve ficar acima da meta este ano, 5,3%. Em 2023, 3,4%. Everton Gonçalves, da ABBC, acha “elevado” o desafio de trazer a inflação à meta ainda este ano

Pensando bem...

...pré-candidatura a presidente é até bom, mas não rende 45 mil dólares por mês.


Poder sem pudor


O pulo do gato

Inimigos, Carlos Lacerda e Juscelino Kubitschek se encontram para articular a Frente Ampla, em oposição ao regime militar. Levaram horas conversando. A certa altura, Lacerda quis saber um velho segredo:

“Como o sr. lembra o nome de todo mundo? Já tentei vários sistemas e nenhum funcionou.” 

JK revelou: “Eu não lembro”. E detalhou o pulo do gato: “O sujeito não quer que você se lembre, quer pensar que você lembrou. Então, eu abraço a pessoa e pergunto baixinho: “Como é mesmo seu nome inteiro?” Aí, termino o abraço e digo bem alto: ‘Como vai, fulano?’ E todos ficam satisfeitos.”

Seu limite gratuito de 15 matérias bloqueadas acabou...
Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos:
Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

MATÉRIAS RELACIONADAS