Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cláudio Humberto

Colunista

Cláudio Humberto

Servidores fizeram 2.470 viagens por dia, este ano

| 12/12/2019, 09:18 09:18 h | Atualizado em 12/12/2019, 09:48

O serviço público brasileiro garante faturamento e lucros de empresas de transporte de passageiros com 812.762 viagens de funcionários supostamente a serviço, só em 2019.

São 2.470 deslocamentos oficiais por dia, com gastos de passagens e diárias. Na prática, é como se o governo garantisse lotação máxima de mais de 15 Airbus 320, todo santo dia, só com servidores públicos civis, militares e “colaboradores”.

Viajantes frequentes
Os voos entre Brasília e Rio de Janeiro são os mais frequentes. Foram 54.382 viagens contra 42.636 entre a capital e São Paulo, em segundo.

Mi Buenos Aires querido
Desde janeiro, foram exatas 18.037 viagens internacionais, e o destino preferido é Buenos Aires, capital do tango: 1.421 visitas de servidores.

Bolsonaro x Temer
Única boa notícia: o número de viagens já caiu 12,4% em relação a 2018, quando foram realizadas 997.410 viagens oficiais a serviço.

Com Dilma era pior
O ano de 2014, na reeleição de Dilma, foi o único a ultrapassar a marca de 1 milhão de viagens “a serviço”: em média, 3.059 por dia.

Alinhamento de Alcolumbre a Maia irrita senadores
São cada vez mais frequentes as críticas de senadores ao alinhamento do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. A reação se intensificou após decisões de Alcolumbre para protelar a votação das propostas que estabelecem a regra de prisão após condenação em segunda instância. Obediente a Maia, o presidente do Senado adiou a votação da proposta para 2020. Não há memória de presidente do Senado tão dócil em relação ao da Câmara.

É um vexame
A atitude constrangedora de Alcolumbre gera críticas de senadores como Alessandro Vieira (SE), Lasier Martins (RS) e Otto Alencar (BA).

Acordo conveniente
Alcolumbre provocou ontem expressões de indignação ao afirmar que o tema só seria votado após “construirmos um acordo com a Câmara”.

Ordem é confundir
Maia teria instruído seus prepostos na comissão especial para retardar a votação da proposta, como incluir na PEC os vários ramos da Justiça.

Abuso de poder
Será entre os dias 16 e 21 o evento que pretextou a viagem do ministro flamenguista Benjamin Zymler, do TCU, à região onde o Flamengo disputará o Mundial de Clubes. Mas ele viajou no último domingo e chegou à região às vésperas do início do torneio. Faturou 12 diárias, até voltar no dia 22.

Vice confirmado
O presidente Bolsonaro não perdeu a piada, apesar da notícia preocupante dos exames que faz para detectar possível câncer de pele: “Por enquanto, o Mourão continua vice”.

Que vergonha
Alagoanos assistiram, sem surpresa, a prisão da filha e do genro do ex-ministro de FHC Luciano Barbosa, vice de Renan Filho, no esquema de corrupção estimado em R$ 30 milhões, na compra de órteses e próteses para a Secretaria de Saúde da pobre Alagoas.

Marinha mandou bem
O Navio Polar Almirante Maximiano, da Marinha do Brasil, foi que localizou e recolheu itens pessoais e destroços do avião Hércules C-130, do Chile, desaparecido desde a madrugada da última terça-feira.

O bom Rubem
O Senado aprovou ontem a indicação do diplomata Rubem Barbosa como novo embaixador em Nursultan (Cazaquistão). Foi embaixador brasileiro na Indonésia, Austrália e também cônsul em Los Angeles.

Tropa de choque
Trabalham sempre juntos o autor e relator da PEC que pretendia ressuscitar o indecoroso imposto sindical: Marcelo Ramos (PL-AM) e Fábio Trad (PSD-MS) são presidente e relator da comissão da PEC da prisão após 2ª instância, na Câmara. Sob a promessa de pés no freio.

Causa própria
A CCJ do Senado aprovou projeto de Efraim Filho (DEM), relatado por Veneziano do Rêgo (MDB), ambos da Paraíba, que permite dispensar licitação para contratar advogado e contador. Ambos são advogados.

Pensando bem...
...quem diria que, livre, Lula seria tão desinteressante.

Garotão sabe se mexer
Impressiona a desenvoltura de Beto Pereira (MS), eleito líder do PSDB na Câmara com menos de um ano de mandato. Aproximou-se de Aécio Neves a João Doria, até Alexandre Frota. Venceu a disputa por 16 a 1.

Poder sem pudor

Inimigos são referências
Eleito senador, Tristão da Cunha (avô do deputado Aécio Neves) foi procurado pelo baiano Luiz Viana Filho para apoiar um candidato dele a um cargo na Mesa Diretora.

Tristão concordou imediatamente, prometendo votar no indicado. Luiz Viana Filho se animou: “Vou apresentar um ao outro, para que você o conheça melhor.” Tristão descartou: “Não precisa, eu já conheço os inimigos dele...”

MATÉRIAS RELACIONADAS