Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cláudio Humberto

Colunista

Cláudio Humberto

PEC do voto auditável deve cair, mas dá para reverter

| 10/08/2021, 09:01 09:01 h | Atualizado em 10/08/2021, 09:02

É difícil reverter no plenário da Câmara a tendência de derrota da PEC da impressão do voto, mas cientistas políticos experientes, como Paulo Kramer, de Brasília, avaliam que resta uma chance ao governo. Para eles, essa chance aumenta se o presidente Jair Bolsonaro controlar a língua por alguns dias e deixar o entendimento a cargo de profissionais da negociação como Arthur Lira, presidente da Câmara, Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil, e Ricardo Barros, líder do Governo na Câmara.

Votos necessários
Após vitórias como as privatizações da Eletrobras e Correios, esta por 286 votos, não parecem distantes os 308 votos para aprovar a PEC.

Cobrança de coerência
O Centrão conta com a “coerência” de deputados que antes defendiam e até faziam da impressão do voto sua “bandeira de lutas”.

Levar vantagem
O problema é que, em política, “coerência” tem outro significado: tudo aquilo que possa favorecer a eleição e reeleição de suas excelências.

Simpatia é quase amor
Outro aspecto é que a maioria da Câmara já se mostrou alinhada com a agenda de reformas econômicas, independente de interesse partidário.

Brasil supera 70% da população adulta vacinada
O Brasil superou ontem os 112 milhões de vacinados, o equivalente a 70% da população adulta, estimada pelo Ministério da Saúde em 160 milhões. São 107,9 milhões de brasileiros ao menos com a primeira dose e 4,4 milhões que foram imunizados com vacina de dose única. O ritmo acelerado da vacinação fez o Brasil alcançar os EUA, grandes produtores de vacina, que atingiram 70% há uma semana.

Mês da vacina
A disparada foi evidenciada pelas 41,1 milhões de doses aplicadas em 30 dias, fazendo o Brasil saltar de 53,2% a 70% dos adultos vacinados.

Quase iguais
Em relação à população total, o Brasil possui, segundo vacinabrasil.org, 53,4% vacinados e deve alcançar em breve os EUA, que têm 58,2%.

Logo ali
Quando muitos citam os 70% como marca para atingir a tal imunidade de rebanho, dr. Paul Offit, da Anvisa dos EUA, estima esse mínimo em 80%.

Provocação inútil
Teve toda a pinta de provocação inútil a decisão de fazer desfilar em Brasília os blindados que serão empregados no exercício militar anual de Formosa (GO). Só a oposição ganhou (discurso) com isso.

Gasto desnecessário
O general Augusto Heleno ainda estava na ativa, quando afirmou, anos atrás, que o Exército não tinha verba nem para gasolina, em hipotética reação ao afano da refinaria da Petrobras na Bolívia. Agora tem?

Autoritarismo
não tem lado
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que “é muito grave” jogar fora das linhas da Constituição. O deputado José Medeiros concordou: “Tem deputado em cárcere privado. Ministro se recusa a receber fiança”.

Pedala, prefeito
O ministro da Educação, Milton Ribeiro (foto), destacou ontem, em entrevista à Rádio Bandeirantes, que há outras prioridades mais urgentes no País, além de internet: levar água a 3.400 escolas e energia a outras 3.800.

Tudo por dinheiro
Ao menos 800 candidatos não tiveram um só voto, nas eleições 2020, segundo a ONG Transparência Partidária. Mesmo fazendo campanha, comícios, caminhadas etc. Não receberam votos nem deles mesmos, mas certamente embolsaram um pedaço do fundão eleitoral.

Estados avançados
O estado de São Paulo vai passar, nos próximos dias, das 40 milhões de doses de vacinas aplicadas na população. Minas Gerais, que é o segundo colocado, já aplicou cerca de 14 milhões de doses.

Moradia fundamental
O Ministério do Desenvolvimento Regional entregou 2,1 mil obras nos primeiros seis meses de 2021; 11,5, em média, por dia. Foram executados R$ 4,6 bilhões na entrega de 191,7 mil moradias.

Vencendo a covid
A semana epidemiológica fechada sábado foi a 8ª seguida de queda, diz o painel dos Secretários de Saúde (Conass). As 6.382 mortes, impressionantes, ao menos foram o melhor resultado do ano inteiro.

Pensando bem...
...certos vírus continuam circulando, de máscara, por Brasília.

Poder sem pudor

Representatividade
Sambista, jornalista e gente boa, Sérgio Cabral, pai do ex-governador do Rio condenado a mais de 300 anos de cadeia por corrupção, era vereador quando foi abordado assim, em um restaurante: “E aí, ainda tem muito ladrão lá na Câmara?”
Sérgio Cabral, o pai, lembrou que havia também vereadores “dignos e dedicados” e pôs fim ao papo de um jeito que o homem ficou sem saber se era elogio ou insulto: “Fique tranquilo: o senhor está muito bem representado...”

MATÉRIAS RELACIONADAS