Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Colunista

Para 48%, próximos anos de Bolsonaro serão ruins

| 31/05/2020, 08:38 08:38 h | Atualizado em 31/05/2020, 08:47

Bolsonaro fez testes para coronavírus nos dias 12 e 17 de março. Afirma que os resultados foram negativos, mas se nega a mostrá-los.
Bolsonaro fez testes para coronavírus nos dias 12 e 17 de março. Afirma que os resultados foram negativos, mas se nega a mostrá-los. |  Foto: Carolina Antunes/PR

Levantamento exclusivo Orbis/Diário do Poder revela que 48,1% dos brasileiros acreditam que o restante do mandato do presidente Jair Bolsonaro será “ruim ou péssimo”; 29,3% dizem achar que os próximos anos serão “bons ou ótimos” e 18,1% dizem que os próximos 31 meses serão “regulares”. Outros 4,5% não souberam avaliar. O instituto Orbis ouviu 2.681 pessoas em todas as regiões do País, no último dia 22.

Diferença entre sexos

As mais pessimistas são as mulheres: para 50,3% delas o futuro do mandato será ruim/péssimo. Entre homens o número cai para 45,3%.

Região otimista

O Centro-Oeste é a região mais otimista: 39,8% acreditam que o futuro do mandato de Bolsonaro será bom ou ótimo.

Estabilidade financeira

Em relação ao nível de endividamento dos próximos meses, a pesquisa Orbis aponta que 40,2% acreditam que estará como está hoje.

Pós-pandemia

São 30,2% aqueles que acreditam que o nível de endividamento pessoal irá aumentar ou aumentar muito nos próximos 6 meses.

PT e PSDB nomearam sete dos onze do Supremo

Chamado de “puxadinho do PT e do PSDB” por Roberto Jefferson, presidente do PTB, o Supremo Tribunal Federal tem composição que poderia dar razão ao ex-deputado não fosse a atitude de independência dos ministros.

Presidentes do PT indicaram sete dos 11 ministros do STF, mas eles não agradeceram a nomeação com a toga, condenando corruptos ligados a Lula, por exemplo, que indicou três ministros e Dilma quatro. FHC escolheu apenas Gilmar Mendes, entre os atuais ministros.

Os quatro de Dilma

Dilma nomeou Luiz Fux, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso (que assumiu a presidência do TSE) e Edson Fachin, relator da Lava a Jato.

Os três de Lula

Foram nomeados por Lula o atual presidente do STF, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Cármen Lúcia.

Três “eleitores”

José Sarney escolheu o decano Celso de Mello, Fernando Collor indicou Marco Aurélio, FHC indicou Gilmar Mendes e Michel Temer nomeou Alexandre de Moraes.

Criticou, dançou

Antes da operação da PF contra supostas fake news, o deputado Osmar Terra (MDB-RS) reclamou em entrevista exclusiva ao Diário do Poder que o STF “amarrou as mãos do Presidente” no combate à pandemia. Falta pouco para entrar na linha de tiro do ministro Alexandre de Moraes.

Boa notícia

No Brasil, as curas superaram contágios pela primeira vez em 50 dias. O site de monitoramento Worldometer registrava 230 mil infectados e 221 mil casos encerrados com a mesma proporção mundial de curados: 88%.

Codinome “colorido”

Quinze dias após troca de insultos com Bolsonaro, o governador paulista João Doria (foto) anunciou cronograma “colorido” para reabrir o comércio. Mais ou menos a flexibilização “vertical” pregada pelo Presidente, sob críticas.

Direitos desrespeitados

O jurista Ives Gandra Martins, que ajudou a fazer a Constituição, lembrou que o direito dos deputados à inviolabilidade do mandato foi ignorado por Alexandre de Moraes, do STF, tanto quanto o direito à livre expressão.

Busca por holofotes

A Defensoria celebra liminar que obriga abertura de 50 leitos em hospital de campanha em São Gonçalo (RJ), que tem só 10 ventiladores. Poderia aproveitar o embalo e pedir liminar para proibir o vírus de infectar.

Mais fake

Alexandre de Moraes mandou a PF apreender celulares e computadores de bolsonaristas. Já o perfil oficial da campanha petista de 2018 (@OBrasilFeliz) continua ativo e espalhando as mentiras de sempre.

Que pandemia?

O Tribunal de Justiça de Pernambuco abriu concurso para juiz substituto com salário inicial de mais de R$30 mil, fora penduricalhos e regalias. O valor do salário corresponde a um respirador tão necessário em UTIs.

Inusitado, não absurdo

Ex-advogado-geral da União, Luís Inácio Adams não considera absurdo o pedido de habeas corpus para Abraham Weintraub (Educação). Foi iniciativa de André Mendonça e não do ministro da Justiça, explica.

Pensando bem...

...veículos que aplaudiram a operação contra supostas fake news são basicamente os mesmos que apoiaram, excitadíssimos, o golpe de 1964.

Tiquinho de presidente

Ao saber que um certo marechal Castelo Branco fora indicado presidente, após o golpe de 1964, o deputado Padre Godinho descobriu seu endereço (rua Nascimento e Silva, Ipanema, Rio) e foi lá apresentar cumprimentos.

Ficou na portaria, com um amigo, até aparecerem algumas pessoas. “Cadê o homem, o Castelo?” Um deles se identificou: “Sou eu.” Reza a lenda que Padre Godinho se apresentou e foi embora. E cutucou o amigo, referindo-se ao baixinho que virou presidente: “Só isso?”

MATÉRIAS RELACIONADAS