Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cláudio Humberto

Cláudio Humberto

Colunista

Cláudio Humberto

Com Lewandowski na Justiça, Lula repete Sarney

Coluna foi publicada nesta segunda-feira (15)

Cláudio Humberto, com colaboração de Rodrigo Vilela e Tiago Vasconcelos | 15/01/2024, 12:38 12:38 h | Atualizado em 15/01/2024, 12:39

Imagem ilustrativa da imagem Com Lewandowski na Justiça, Lula repete Sarney
Ricardo Lewandowski será o novo ministro da Justiça |  Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

A opção do presidente Lula (PT) pelo ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski para assumir o Ministério da Justiça não é inédito. O petista repete ato do ex-presidente José Sarney, que em 1989 escolheu Oscar Dias Correia, ministro aposentado do STF dias antes. Ele substituía a Paulo Brossard, ex-senador gaúcho histórico, que era o ministro da Justiça e assumiria vaga no STF.

Dois exemplos

Desde as eleições diretas, outros dois ministros trocaram o STF pela Esplanada dos Ministérios: Nelson Jobim e Francisco Rezek.

Lula II

Jobim virou ministro da Defesa de Lula, em 2007. Rezek pediu para sair do STF em 1990 para assumir o Ministério das Relações Exteriores.

Caminho ‘regular’

Outros 10 ministros na história do STF, como Nelson Jobim e atualmente Alexandre de Moraes, ocuparam o Ministério da Justiça antes do STF.

Outra semelhança

O caso de Lewandowski lembra o do juiz Sergio Moro, que deixou a magistratura para assumir a pasta da Justiça do governo que apoia.

Denotação

Líder da oposição, Carlos Jordy (PL-RJ) chama de “toma lá dá cá” a nomeação do filho da ministra Nísia Trindade (Saúde) como secretário da prefeitura de Cabo Frio (RJ), após envio de R$55 milhões ao município.

Visita paraguaia deveria, mas não irá inspirar o Brasil

Visto com preconceito pela elite política brasileira, o Paraguai virou um exemplo a ser seguido, mas a visita a Brasília do presidente daquele país, Santiago Peña, nesta segunda-feira (15), não servirá de inspiração para o governo brasileiro, adepto de concepções que deram errado onde foram aplicadas.

Adotando o liberalismo, o Paraguai tem registrado crescimento econômico chinês há anos e, ao contrário do Brasil, que pune, estimula investimentos privados, geradores de empregos e renda.

Agenda definida

Considerado político jovem e moderno, Peña vem tratar de temas do interesse do seu país, como Itaipu, combate à criminalidade e Mercosul.

Vida mais justa

O ritmo de crescimento do Paraguai é o triplo do Brasil e o custo de vida de uma família equivale a 60% do salário-mínimo, de valor semelhante.

Imposto justo

O Paraguai cobra imposto sobre renda e não sobre consumo: seu IVA soma 10%, quase três vezes menos que os esperados 27% do brasileiro.

Golpe baixo

Não foi apenas uma mentira: Lula aplicou golpe baixo acusando Ibaneis Rocha, governador do Distrito Federal, de estimular o 8 de janeiro. Ao contrário de G. Dias, general de Lula, flagrado confraternizando com invasores, Ibaneis foi gravado dando ordens à PM para reprimir e prender os vândalos.

Isso é governo

Após críticas por “decretar o fim de semana” às 18 horas semanas atrás, a Presidência da República foi às redes sociais na última sexta-feira (12) para anunciar, às 20h30, que “sextou”.

Larga essencial

O ex-senador Álvaro Dias comemorou os 40 anos desde o “primeiro grande comício ‘Diretas Já’”, em janeiro de 1984, em Curitiba (PR). “Foi a largada fundamental para a redemocratização no nosso País”, lembrou.

Eleição indireta

Ex-governador e candidato da Aliança Democrática na transição após a ditadura, Tancredo Neves era eleito Presidente da República pelo voto indireto de um colégio eleitoral, em 15 de janeiro de 1985.

Proporção considerável

O presidente do Novo, Eduardo Ribeiro, comemorou o crescimento de quase 30% no número de filiados ao partido, que passou de 32 mil para 42 mil nos últimos seis meses. “Rumo aos 50 mil”, disse.

Aviso prévio

Órgão oficial do governo da China avisou que planos de independência são incompatíveis com a paz no Estreito de Taiwan e contrários “aos interesses e bem-estar do povo de Taiwan”.

Rola a bola

As primárias do partido Republicano, do ex-presidente Donald Trump, começam oficialmente nesta segunda-feira (15). É a eleição que vai definir quem será o candidato que enfrentará a reeleição de Joe Biden.

Pensando bem...

...regular, nem o tamanho.


"Que o Brasil aprenda o que a esquerda pode destruir” - Senador Ciro Nogueira (PP-PI) destacando inflação de 211,4% herdada na Argentina


Poder sem pudor

A ponte que nos partiu

Foi acalorada a discussão na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, certa vez, sobre a “ponte Rosinha Garotinho”, em Campos.

O deputado tucano Luiz Paulo alertava para o “erro” do então governador Sérgio Cabral em batizar logradouros públicos com nome de pessoas vivas, e o da ex-governadora em aceitar a homenagem. O deputado Paulo Melo (PMDB-RJ) lembrou: “Em Saquarema, todos conhecem a avenida da praia como Avenida Luiz Paulo, porque foi V. Exa. quem me ajudou a fazer.”

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

SUGERIMOS PARA VOCÊ: