Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Imagem do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Presentes do Dia dos Namorados

03/06/2021 08:08:44 min. de leitura

Nunca gostei de Dia dos Namorados pelos mais variados motivos. Quando jovem, dizia que a data era “comercial”, até arrumar um namorado que me paparicava e preparava surpresas incríveis e nada comerciais.

Aí teve a fase da solteirice, que, obviamente, não achava muita graça em ouvir das amigas o que havia acontecido no 12 de junho.

Com a chegada da telefonia móvel, lembro de achar patético as TVs anunciarem telefones para “dar de presente ao seu amor” e até mesmo apenas os planos para poder “falar sempre com o seu amor”.

E, pior que isso, apenas o fato de, antes da pandemia, ouvir os relatos de gente que, na ilusão de uma “noite diferente” enfrentara horas no carro em um congestionamento na fila do motel da vez.

Regras e Dicas – Agora me pedem dicas de presentes para o Dia dos Namorados. Que sinuca! Logo eu que estou casada há 32 anos, cujo marido, fofo, muitas vezes traz flores, etc, mas não obrigatoriamente, pois na nossa vida nada é obrigatório ou igual (um dos motivos pelos quais casei aos 30 anos)...

Mas vamos lá: regras. Não tem mais regra. Tenho muitos textos em que, aos 30 e 40 anos, indicava não dar isso ou aquilo no começo do namoro ou dar tal coisa se já estavam juntos há algum tempo...

Mas hoje? Nesse momento pandêmico quem está conseguindo namorar e se apaixonar... pode tudo. Jamais pensei que diria isso, mas é isso aí: se jogue. Masssss.... há micos que você pode evitar. E gestos que podem ser megavalorizados com complementos simples, então....

Lingerie – Nada contra. No entanto, errar tamanho e estilo é ruim. Fique atento, confira e, se tiver muita dúvida, dê mais de um conjunto variando o tamanho do segundo. Sim, eu disse conjunto. Só uma peça não vale: quem gosta de lingerie, etc, gosta de conjunto e não de pobreza...

Flores – Delicadeza no buquê e na escolha é importante. Exagerar na quantidade e tamanho pode ser tiro no pé. Já, uma única flor linda e aberta, entregue ao vivo com um beijo bem dado, não tem preço – concordam? Para homens inclusive. Flores virtuais? Só se a distância realmente impedir ou o programa ao vivo for sensacional....

Vales – Sou adepta dos vales, masssss, nesse caso, devem ter um complemento fofo: claro que você vai dar o vale da preferência do seu amor.

Ainda assim: um vale-day spa pode ser acompanhado de uma massagem com óleos aromáticos; um vale-livro, de um programa bacana; um vale-viagem, de uma noite tomando um bom vinho. E assim por diante.

Em casa em segurança – Por que não? Para quem gosta, cozinhar e desfrutar – de uma refeição inesquecível sem hora para terminar – pode ser uma boa ideia...

Presentão – Minha mãe sempre disse para não aceitar presentes muito importantes dos namorados/as. E nunca entendi muito bem essa regra de antigamente... Ora, tá gostando e tá podendo? Que mal tem? Nenhum. Não sabemos o que vai ser o ano que vem, portanto...

O importante é estar bem, com saúde (ou se recuperando) e... ainda por cima apaixonado/a: Viva a vida!
E seja Feliz nesse 12 de junho, Dia dos Namorados!