Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Imagem do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Mudanças da pandemia que vão permanecer

08/07/2021 11:07:53 min. de leitura

As mudanças em nossas vidas foram aceleradas com a pandemia. Sentimos isso em cada hábito que tivemos de modificar, cada limite superado e cada experiência adquirida. Vale destacar que têm sido várias: para o bom e o muito ruim.

Muita gente tem me perguntado como fica isso ou aquilo em relação a comportamento e relacionamento profissional, etc. Reuni aqui as principais dúvidas para um “balanço 20/21” – pois, haja mudança!

O que vai continuar valendo em termos de etiqueta? – A etiqueta no século 21 não decorre mais da necessidade de identificar grupos e classes sociais: ela existe para facilitar a comunicação em um mundo cheio de excessos virtuais: da superexposição às fake news, é preciso um código de relacionamento.

Essa comunicação mais agradável, personalizada e elegante, é uma forma segura de melhorar relacionamentos pessoais, hoje deteriorados pela comunicação a distância e pelas redes sociais, ora frias demais ou acaloradas e extrapolarizadas.

Sustentabilidade, inclusão e resiliência – Pense nessas três palavras como os pares para as três que sempre foram os pilares da etiqueta: bom senso, naturalidade e afetividade.

Como ficam as perdas das mulheres, decorrentes da pandemia? Perdemos empregos, tempo de qualidade, receita e, o mais trágico, muitas vezes, pessoas amadas.

A boa notícia: estamos acostumadas a resistir. E continuaremos assim. As mudanças no campo “casa e família” são as mais sensíveis: a casa virou escritório e escola, onde todos são obrigados a conviver, ceder, respeitar mais os espaços e horários e, palavra mágica: tolerar.

Ora, em casa, sempre nos foi permitido mostrar nosso lado sensível, criativo, etc. Os homens, finalmente, em casa e libertos de rótulos, têm se divertido no universo. E, em muitos casos, entregando resultados surpreendentes!
Não resista: invista! – É isso aí! Aguente um pouco a invasão aos seus espaços e o “modus operandi” diferente, mas foque no resultado. Pode ser extremamente gratificante e te libertar de uma série de tarefas e responsabilidades.

Aqui, ganhei um chef de mão cheia! Negociamos e, agora, compras e todas as refeições são por conta dele. Ganhei mais qualidade em cada momento à mesa e, claro, não tenho que ouvir que “prefiro isso ou aquilo”.

É um exemplo bobo, mas, no geral, mudou a dinâmica do dia a dia para melhor.

Como fica a mesa com a queda de eventos e restaurantes trabalhando em horários reduzidos?
Eventos já estão voltando aos poucos, mas a mesa tornou-se, mais do que nunca, a vedete e o ponto alto dos encontros – sociais e profissionais. Massss... a mesa em casa. Não mais megamesas de megaeventos. Pense nisso!

Em nosso portal de cursos online, aumentou muito o interesse pelo tema “Mesa” e a febre das meseiras (há já alguns anos) resgatou a mesa de casa, que reúne amigos e família.

Hoje, homens e mulheres têm interesse nesta tendência, pois não é uma mesa fútil, mas uma mesa onde é possível fechar negócios e fazer networking. Além disto, em casa, há maiores chances para melhorar a qualidade de lazer e a convivência em família. Pense nisso, e boas mudanças!