Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Colunista

Claudia Matarazzo

Corajosa Regina (sim, a Duarte)

| 13/02/2020, 07:55 07:55 h | Atualizado em 13/02/2020, 08:14

Para não dizer que não falei de Regina, esperei a poeira baixar, o sim se concretizar e as malcriações aparecerem. Porque eram inevitáveis. Vamos combinar: figura pública, namoradinha do Brasil, há décadas entrando nos lares de todos, interpretando o bem e o mal.

Era inevitável que todos se sentissem à vontade para falar o que quisessem e fazer uma DR gratuita via redes sociais, com o pretexto de parecerem engajados – ou o que fosse.

Coragem e idealismo – Vamos respirar fundo, acalmar o coração e analisar friamente: você trocaria um emprego onde te tratam como uma das maiores estrelas da empresa, com um salário invejável inclusive fora do ar, uma posição de prestígio nacional como atriz, por outro ganhando um quarto do que ganhava, instabilidade total, sujeita a frituras, dando a cara para bater diariamente?

É preciso coragem. Ou idealismo. Ou ambos. Ou, talvez, um sentimento de que talvez consiga fazer algo melhor do que o antecessor, Ricardo Alvim, o ministro da Triste Figura.

Regina pode ser muitas coisas, mas tem mais repertório, vivência, experiência e generosidade do que todos os ministros deste governo de sombrios dias ligados à cultura, ideias, educação e costumes – juntos.

Além disso, tem uma vida pública bastante limpa e conhecida para provar isso. “Ah, mas ela gravou um vídeo falando do medo que tinha do PT”.

E daí? Não concordar com um partido (como eu não concordo com esse que ora nos governa, não a coloca no mesmo patamar de algumas tristes figuras do Ministério Bolsonaro. Hoje, tenho mais medo dessa turma que aí está do que do PT.

Generosa Regina – Para mim, era um grande evento: há cerca de um ano contracenei com ela na novela “Tempo de Amar”, onde fazia uma das protagonistas.

Eu teria duas cenas onde cantaria em uma delas. E, na outra, com Regina, cerca de seis frases para falar com ela. No dia da gravação, meu camarim (e o de outras atrizes) era ao lado do dela, que, assim que me viu, atravessou o espaço, me deu um abraço com aquele sorriso de namoradinha, e me convidou a “ensaiar as falas”!!!

Não é babação de ovo gente, mas percebem que, com 50 anos de TV nas costas, ela não precisava ensaiar três frases comigo?

Esperta Regina – Ela sabia que, ao fazer isso, estava poupando trabalho a si mesma. Mas não hesitou em dividir seu precioso tempo – e ganharam todos, principalmente, a equipe técnica.

Deus lhe ilumine, lhe dê resiliência e paciência para lidar com tanto recalque: vai ser impossível agradar a todos. Até mesmo, a poucos.

Regina precisará exercitar como nunca sua generosidade, esperteza e a sua vida de característica de namoradinha, para desviar das cascas de banana que diariamente lhe colocarão no caminho.
O êxito será muito mais difícil do que imagina, mas não impossível. Haja resiliência e grandeza para perdoar e seguir em frente.

Sim, ela é uma boa escolha, ante vários outros desastres que, frequentemente, testemunhamos nesse desgoverno. Palmas para Regina! E vamo que vamo.
 

MATÉRIAS RELACIONADAS