Login

Imagem ilustrativa da capa de fundo do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Imagem do colunista Claudia Matarazzo

Claudia Matarazzo

Como ajudar o anfitrião

19/08/2021 10:11:05 min. de leitura

Tem quem goste e tem quem não. Mas, neste momento ainda de pouca aglomeração (pelo menos, deveria ser), perguntam-me como ajudar o dono da casa quando ele não tem ninguém contratado para isso.

Dica para o anfitrião – Deixe claro, desde o início, qual a sua preferência: aceite ajuda assim que se fizer necessário ou anuncie: “Pessoal, não se preocupe, está tudo organizado e quero que vocês relaxem porque eu estou amando ter todos aqui”.

Imagem ilustrativa da imagem Como ajudar o anfitrião
Foto: Pixabay

Hoje, estabelecer um tom tranquilo e mais para o informal é essencial. Não mais mil detalhes cri-cris ou ostentação e, sim, privilegiar amigos e a presença. O resto, administra-se conforme a necessidade.

É claro que depende também de quantas pessoas você está convidando e que tipo de reunião será. Um churrasco na piscina dá muito mais trabalho do que uma massa ao forno em um apartamento.

O primeiro exige mais acessórios e suja mais material.

Daí, a necessidade de ter alguém atento para poder recolher, levar para a cozinha, lavar (ou ainda separar para, depois, lavar), repor, trazer mais descartáveis, etc.

Combine antes – Se tiver algum convidado mais íntimo, da família, ou mesmo mais jovem e disposto, combine antes e diga que conta com ele para ajudar com “isso, aquilo e aquilo outro”. Simples assim, e não se acanhe de orientar na hora.

Acredite: as pessoas não apenas gostam de ajudar, como também sentem-se úteis e mais agradecidas por terem sido tanto convidadas quanto eleitas como “coanfitriãs. Porque essa é a ideia, certo? Não é para escravizar o convidado.

Ok, não pretende pedir nada e até prefere que deixem tudo com você. Beleza. Apenas certifique-se de passar um tempo com os seus amigos. Nem que seja apenas para chamar os mais íntimos para “fazer companhia” enquanto termina os últimos detalhes na cozinha.

Convidado ansioso – Minha mãe é assim: não aguenta não ajudar. Mas precisa segurar a
onda.

Ofereça-se para ajudar, mas, se quiser mesmo fazer isso, perceba onde seu anfitrião está precisando de uma força e fale discretamente: “Fulano, vou levar essas coisas até a cozinha tá?”. Ou: “Posso te ajudar a esvaziar os cinzeiros?”. Ou ainda: “Vou trazer mais gelo e refrigerante, não seu preocupe, sei onde está”.

Assim, seu anfitrião relaxa, pois percebe que você sabe o que está fazendo.

Para o dono da casa, o que dá preguiça mesmo é ter de explicar onde está tudo, etc.

Discretamente – Uma coisa é ajudar a levar e trazer coisas. Outra, muito diferente, é começar a lavar, abrindo e enchendo as duas cubas da pia, molhando bancada e panos de prato e desestruturando o esquema do dono da casa.

Pergunte sempre onde e como prefere que você ajude. E, principalmente, se for uma refeição, no momento em que estiverem todos à mesa, só levante para ajudar se ele pedir (ou se você, discretamente, sugerir e ele aceitar).

Se ouvir “fiquem todos sentados, eu prefiro”, é para realmente ficar sentado.

Caso contrário, você antecipa o final da reunião, o que é imperdoável. Segure a ansiedade, relaxe e desfrute o prazer de estar ao vivo com quem importa.