search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Colheita do café vai ser adiada para maio no Estado
Fonte Grande
Luiz Trevisan

Luiz Trevisan


Colheita do café vai ser adiada para maio no Estado

 (Foto: )
(Foto: )

Representantes do setor agrícola decidiram orientar cafeicultores capixabas a adiar para maio a colheita do café, normalmente iniciada em abril, por causa da pandemia do coronavírus.

A avaliação dos especialistas é que a intensidade das chuvas registradas últimos meses provocou retardamento na maturação dos grãos, daí não haver problemas de perdas na produção.

Ao mesmo tempo, representantes do Centro do Comércio do Café, Fetaes, Incaper, Idaf e Ceasa vão divulgar um protocolo para receber os trabalhadores que virão para a colheita. São orientações sobre espaçamento e higiene a serem observadas no transporte e alojamento.

O secretário da Agricultura,Paulo Foletto, observa que cerca de 30 mil trabalhadores rurais chegam ao Espírito Santo para trabalhar na colheita do café vindos principalmente de Sergipe, Alagoas, Minas Gerais e Sul da Bahia.

“Neste ano, eles também terão de passar por barreiras sanitárias nas fronteiras, que farão uma avaliação das condições de saúde desses trabalhadores”, destacou. Ele observa que na agricultura familiar, a colheita é feita sem mão de obra de fora. No entanto, para a agricultura empresarial, “são caminhões e caminhões de trabalhadores requisitados”.

Em termos de mercado, o café vai mantendo preços estabilizados. E o consumo registra pouca baixa nesta fase de isolamento social. Daí, avalia Foletto, não há muito motivo de preocupação econômica para os produtores. “Vamos concentrar os cuidados na questão do contágio, para preservar vidas”.

Foletto, que é médico, observa: “Tudo indica que estamos entrando agora no mês mais crítico da pandemia. Por isso, é necessária toda precaução e distanciamento das pessoas para superarmos essa crise com poucas perdas”.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados