X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Fundador do Telegram se desculpa após plataforma ser bloqueada no Brasil

Pavel Durov alegou um problema nos e-mails da empresa

Redação Tribuna Online, com informações de G1 | 18/03/2022 20:12 h

O fundador do Telegram, Pavel Durov, se desculpou nesta sexta-feira (18) após o bloqueio da plataforma no Brasil. Durov explicou que um problema com e-mails impediu que a empresa recebesse determinações judiciais.

Diante disso, o fundador da plataforma solicitou um adiamento por alguns dias da ordem de bloqueio do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo Pavel, um novo prazo para cumprir a decisão permitirá ao Telegram indicar um representante no Brasil e criar uma estrutura para casos semelhantes. 

"Parece que tivemos um problema com e-mails entre nossos endereços corporativos do telegram.org e o Supremo Tribunal Federal. Como resultado dessa falha de comunicação, o Tribunal decidiu proibir o Telegram por não responder", relatou Durov.

"Em nome de nossa equipe, peço desculpas ao Supremo Tribunal Federal por nossa negligência. Definitivamente, poderíamos ter feito um trabalho melhor", continuou.

O empresário russo lembrou ainda que em fevereiro, o aplicativo cumpriu uma decisão judicial no Brasil. Na época a ordem era de bloqueio de três perfis ligados ao blogueiro bolsonarista Allan dos Santos.

Durov disse ainda que o Telegram enviou à Justiça brasileira uma sugestão de enviar futuras solicitações para um e-mail dedicado a isso. Mas, segundo ele, o STF enviou os pedidos para o e-mail errado.

"Infelizmente, nossa resposta deve ter sido perdida, porque o Tribunal usou o antigo endereço de e-mail de uso geral em outras tentativas de entrar em contato conosco", disse em publicação.

Em sua mensagem, Durov disse que milhões de brasileiros usam o Telegram para conversar com familiares e amigos. O aplicativo conta com mais de 500 milhões de usuários em todo o mundo.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS