Login

Atualize seus dados

Capixabas vão participar de documentário sobre astros celestes e ETs

06/09/2021 13:00:59 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Capixabas vão participar de documentário sobre astros celestes e ETs
Adriane e Joaquim fazem parte da Associação Dakila Pesquisas Foto: Dayana Souza/AT

Sessenta e cinco capixabas estão participando de estudos para um documentário que vai mostrar uma diferente visão dos astros, como a Lua, Saturno e de outras constelações. Esses pesquisadores acreditam que são guiados por extraterrestres, os ETs.

Para esse grupo de capixabas, existe vida além da Terra, e eles afirmam haver 49 raças de extraterrestres no Universo. A auxiliar administrativa Adriane Flavia dos Santos Seidel, o técnico em saneamento Joaquim Nicolau Seidel, e a bióloga Carolina Monteiro Soprani fazem parte do grupo e integram a Associação Dakila Pesquisas.

Eles explicam que os extraterrestres são considerados parceiros para o desenvolvimento de diversas áreas, e são seres que se mostram para quem os vê, o que precisa ser descoberto no planeta Terra.

“Estudamos as anomalias que tem acontecido no planeta, no Sistema Terra, junto aos parceiros e toda a orientação dos nossos vizinhos de Sistema. Os chamam de extraterrestes, mas nós os chamamos de parceiros. São 49 raças existentes nesse vasto Universo que temos, e dentro dessas orientações que nos passam, fazemos as pesquisas”, esclarece Adriane.

Algumas informações são passadas segundo os pesquisadores, pelos extraterrestres, que acabam auxiliando nas pesquisas.

“Temos contato com eles, trocamos informações. Eles nos passam informações quando há necessidade. São informações de diferentes áreas. Isso acaba sendo polêmico porque não são todas as pessoas que têm acesso. É diferente de religião. São seres de outras dimensões que se manifestam na Terra”, explicou Joaquim Nicolau.

Ele completou: “Com treinamento é possível observá-los de perto e fazer o contato. É como se eles trouxessem conhecimentos que nós ainda não temos, ou ainda não lembramos!”.

Para o documentário, os pesquisadores realizam estudos que giram em torno do analema, que é o desenho feito pelo Sol visto da Terra. Segundo eles, existem algumas anomalias nos astros, e os testes feitos para a comprovação dessas anomalias estarão presentes no documentário.

“Dependendo do lugar onde se está e o horário, ao fim de um ano, o sol fará o desenho de '8' (analema), que pode ser inclinado ou não. As pesquisas começaram em cima desse simples teste, e os resultados estão além dele. Muitas informações estão vindo à tona, e mais pesquisas e testes foram feitos de acordo com as irregularidades encontradas entre o que é dito pela ciência tradicional e o que realmente acontece”, salientou Carolina.


Saiba mais


A associação

  • A Associação Dakila Pesquisas teve início em 1997, ainda conhecida como Projeto Portal, e tem como fundador e presidente Urandir Fernandes de Oliveira. Também conhecido como pai dos extraterrestes no Brasil, Urandir relata que tem contato com os seres de outros planetas, assim como todos os seus pesquisadores e associados.
  • Atualmente, o Dakila Pesquisas possui 714 mil associados, entre 4.700 sócios, 9.300 participativos, 700 mil contribuintes e milhares de pesquisadores no Brasil e no mundo, incluindo no Espírito Santo.

O documentário

  • Os pesquisadores estão criando um documentário, com a ajuda de 65 capixabas, que vai mostrar uma diferente visão dos astros Lua, Saturno e astros de outras constelações. De acordo com eles, os ETs conversam com os estudiosos e mostram essas diferenças em comparação ao que já foi apontado pela ciência.
  • Para o documentário, os pesquisadores realizam estudos que giram em torno do analema, que é o desenho feito pelo sol visto da Terra. Segundo eles, existem algumas anomalias nos astros, e os testes feitos para a comprovação dessas anomalias estarão presentes no documentário.
  • O documentário está em fase de finalização, mas devido a pandemia não tem data para lançamento

Fonte: Associação Dakila Pesquisas.