Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Universitário que matou os pais era bipolar, diz amiga

| 05/08/2021 15:09 h | Atualizado em 05/08/2021, 15:20

Um jovem tranquilo, sorridente, educado e amável. Foi assim que amigos do estudante de Medicina Guilherme Heringer César o descreveram.

Uma amiga que cursa a faculdade de Medicina com Guilherme contou que toda a turma está em luto, pedindo orações e respeito.

Segundo ela, o jovem foi diagnosticado com transtorno de bipolaridade, por isso todos acreditam que o que aconteceu foi um surto.

Guilherme Heringer Cesar tinha 22 anos
Guilherme Heringer Cesar tinha 22 anos |  Foto: Reprodução / Instagram @guiheringerc
“Guilherme é amigo, nunca vi se metendo em uma única briga, nunca vi Guilherme sem estar com a felicidade estampada no olhar e você não conseguia conversar com ele sem expressar um sorriso, porque ele irradiava uma luz linda”.

E completou: “O que ninguém entende é que há um ano, Gui foi diagnosticado com transtorno de bipolaridade, se afastou da faculdade por um tempo e já estava retornando”.

Ela e os colegas acreditam que o que aconteceu foi um surto. “Ele não é essa pessoa, ele não é isso que estão mostrando. Guilherme era e sempre será amor, é assim que lembraremos dele. Lembrando que a faculdade de Medicina não é fácil e exige de nós muito mais do que alguns podem aguentar, muito mais do que quase todos nós podemos aguentar, na verdade”.

Para ela, muitas vezes os sorrisos eram pedidos de socorro, mas não foram escutados porque todos estavam sorrindo em meio à tentativa de manter a saúde mental.

“Gui tinha um transtorno psiquiátrico e peço de coração que não o transformem em um monstro, ele não se resume a um surto!”, finalizou a amiga.

Família

Imagem ilustrativa da imagem Universitário que matou os pais era bipolar, diz amiga
O psiquiatra Valber Dias diz que jovem tinha  sofrimento mental. “Mas o motivo do homicídio é difícil de explicar”
O psiquiatra Valber Dias diz que jovem tinha sofrimento mental. “Mas o motivo do homicídio é difícil de explicar” |  Foto: Divulgação
Um grupo, com cerca de 12 amigos e familiares das vítimas, compareceu ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, na tarde de ontem.

Após liberar os três corpos, um dos familiares, que preferiu não se identificar, ressaltou: “Guilherme era uma pessoa boa, muito mais do que estão dizendo. A pessoa que ele foi ninguém vai tirar da nossa família”, disse.

Uma amiga do casal também ressaltou que alguns familiares estão sendo poupados dos detalhes para digerirem aos poucos, apenas alguns sobrinhos estão tendo acesso às informações.

“Estou poupando a minha família, nossa ficha ainda não caiu e estamos bem tristes, principalmente com o que está repercutindo nas redes sociais. Perdemos um familiar há pouco mais de 15 dias; é uma dor que não tem fim”.

Surto de jovem não é descartado

Sem motivo aparente para matar o pai e a mãe e cometer suicídio em seguida, uma das possibilidades é que Guilherme Heringer César, de 22 anos, possa ter tido um surto psicótico.

Segundo o médico psiquiatra Jairo Navarro, situações como a que ocorreu ontem são raras na psiquiatria, mas podem acontecer.

Jairo Navarro: saudosismos
Jairo Navarro: saudosismos |  Foto: Beto Morais - 16/07/2019
“Quando acontece, geralmente, está relacionado a um surto psicótico. Ele pode ocorrer em casos de esquizofrenia, mas outros transtornos também têm essa mesma sintomatologia, que é a pessoa ter delírios, alucinações e desorganização do pensamento e do comportamento. Pode haver comportamento violento associado”.

Ele ressaltou que, além da esquizofrenia, esse quadro pode ocorrer no transtorno bipolar e no transtorno delirante, por exemplo. “Até uso de substâncias psicoativas é capaz de provocar surtos psicóticos.”

O médico revelou que, na psiquiatria forense, são analisadas as circunstâncias e as situações, para ver por que cada caso ocorre.

“Diferentemente do que ocorreu em outros casos de repercussão, em que homicídios tiveram como finalidade herança, por exemplo, esse rapaz não obteve ganho nenhum. Faz, sim, pensar, a princípio, em um comportamento psicótico”.

Ele ainda alertou para sinais de possíveis transtornos. “Preocupante é quando a pessoa muda o comportamento dela. Se o jovem, o adulto e até o adolescente ou a criança tem um comportamento, uma forma de viver e, de repente, passa a ficar diferente, incluindo ficar reservado, é algo a ser monitorado”, orientou.

No caso das psicoses, segundo Navarro, é fácil identificar. “A pessoa em surto fica desorganizada. Tem pensamento errático, comportamentos bizarros. Ouve vozes, fica agressiva, tem delírios”.

O médico psiquiatra e mestre em Fisiologia Valber Dias ressaltou que é difícil entender o motivo do homicídio. “Mas a parte do suicídio, certamente, é uma situação de sofrimento mental muito intensa: pode ser um quadro depressivo, um quadro de transtornos psicóticos, como esquizofrenia”.

Ele destacou que é importante não perder a empatia com os envolvidos. “Só quem conhece bem o caso dele poderia falar com certeza”.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS