X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Universitária que estava em praia de Guarapari passa por exames no DML

Jovem de 21 anos foi submetida a dois exames, de corpo de delito e toxicológico

Roberta Bourguignon, Jornal A Tribuna | 05/02/2022 14:05 h

Dezoito dias após um universitário de 20 anos ser encontrado com a barriga aberta em praia de Guarapari, a namorada dele, de 21 anos, passou por exames no Departamento Médico Legal (DML) em Vitória, na manhã de ontem.  

Praia do Ermitão,   onde universitário  foi encontrado  com a barriga aberta
Praia do Ermitão, onde universitário foi encontrado com a barriga aberta |  Foto: Roberta Bourguignon/AT
  

A universitária foi submetida a dois exames:   de corpo de delito e toxicológico. O prazo para entrega dos resultados por parte do DML é de 30 dias. A informação foi confirmada pelo advogado das famílias, Lécio Machado. 

O resultado será enviado para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari, que investiga o caso.  

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que trabalha conforme os prazos estabelecidos pelo Código Processual Penal e que  todas as investigações seguem sob sigilo. 

Na ocorrência, a jovem  tratou o universitário como amigo e  informou que estava na praia com ele em Guarapari. Ela disse   que, após os dois usarem entorpecentes,   não se lembrava de mais nada. Afirmou também  à polícia que sua consciência voltou quando estava sendo socorrida pelos pais.  

Ainda à polícia, a jovem mostrou que havia vários hematomas e cortes em seu corpo  e disse que seu amigo tinha um corte profundo na região do abdômen, sendo socorrido para o Hospital São Lucas, em Vitória.  Ela não chegou a ficar internada, mas  recebeu atendimento médico no Hospital Maternidade de Anchieta,  e prestou esclarecimentos à polícia de Anchieta.   

No Hospital São Lucas, o primeiro prontuário do universitário   informa que ele passou por uma cirurgia geral, em atendimento na sala de choque do pronto-socorro. Ele chegou ao local com  corte no abdômen, exposição de alça intestinal, trauma de face e hematoma. 

O relato no   prontuário  era de uso de entorpecente LSD e perda da consciência, não sabendo como o corte foi feito na barriga.   

O jovem também recebeu documento para fazer os exames no DML e  vai comparecer   quando tiver alta hospitalar, segundo o advogado. O rapaz segue internado em recuperação em um hospital particular em Vitória.

Entenda

O crime

> Um universitário, de 20 anos, sofreu um corte profundo na barriga, a ponto de ser possível visualizar seus órgãos. Vísceras ficaram espalhadas na areia da praia.   

> O fato aconteceu na madrugada do dia 16 de janeiro. O jovem passou por cirurgia e teve o intestino retirado. Ele deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na semana passada e segue internado em um hospital particular, em Vitória. 

> Segundo o advogado da família, Lécio Machado, o universitário e a namorada foram fazer um luau   na Praia do Ermitão, em Guarapari, e teriam sido vítimas de criminosos que o atacaram e roubaram um celular, cartão e dinheiro, e deixaram o rapaz com a barriga aberta na areia da praia. 

> A praia em que os jovens estavam é deserta e fica no Parque Municipal Morro da Pescaria,  a um quilômetro a pé da orla da Praia do Morro.    

> O crime foi registrado como tentativa de homicídio por arma branca.   

> A jovem prestou depoimento à polícia na tarde da última  segunda-feira e ressaltou que os dois tiveram momentos de “apagão”, após  uso de entorpecentes e bebida alcoólica. Ela disse que no período em que eles não se recordam, teriam sido atacados por outras pessoas.    

> O advogado das famílias acredita que o rapaz possa ter sofrido  corte na barriga, durante  briga com terceiros. 

> No relato à polícia, a universitária   cita que, quando os dois acordaram na areia da praia, o jovem já estava com a barriga aberta, sendo possível ver os órgãos internos do rapaz e as vísceras na areia da praia.     

> Partes dos órgãos do universitário que foram encontrados na areia da praia foram encaminhadas para o Departamento Médico Legal (DML), para serem periciadas.   

> A jovem passou por exames de corpo de delito e toxicológico na manhã de ontem. O universitário também recebeu documento para os  exames, que serão feitos segundo o advogado, quando ele tiver alta hospitalar.

Cronologia segundo imagens

> De acordo com as imagens de videomonitoramento, o casal chega ao Parque Municipal Morro da Pescaria às 21h01 de sábado, dia 15 de janeiro. Como a entrada principal está fechada, eles seguem caminhando pelas pedras que ficam ao lado da entrada principal.

> Os dois seguem em direção à Praia do Ermitão, que fica um quilômetro de distância da entrada do parque. Todo o percurso é feito no escuro e é possível identificar que os dois usam um objeto para iluminar o caminho. A praia não possui câmeras. 

> Antes das 2h da manhã, a mãe da jovem aparece próximo à entrada principal do parque. Segundo o advogado, a mãe vai até o local após conseguir falar com a filha por telefone. A mulher procura a filha nas imediações e não a encontra.  

> A mãe deixa o local e, somente após as 4h e volta com o pai da jovem. A universitária aparece na portaria do parque com roupa de banho e ao telefone. Ela conversa diversas vezes com o segurança e, às 4h26, pai e filha se encontram na portaria. 

> Às 5h16, o socorro chega. A jovem e a mãe não seguem com os socorristas. Uma dupla do Corpo de Bombeiros e outra do Samu seguem em direção à Praia do Ermitão com uma maca. Às 6h, os socorristas voltam com o universitário na maca, transportada pelo quadriciclo do parque.  

> Somente um homem de bermuda branca acompanha o socorro, além do vigia do parque.

Fonte: Advogado das famílias e polícia.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS