X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Sindicato espera que Justiça defina segunda-feira sobre retorno de aulas na rede pública

| 02/10/2020 16:29 h | Atualizado em 02/10/2020, 17:17

Professor em sala de aula: educadores vão receber este ano  bonificação referente ao exercício de 2019
Professor em sala de aula: educadores vão receber este ano bonificação referente ao exercício de 2019 |  Foto: Arquivo / AT

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) esperam que a Justiça defina na segunda-feira (5) se autoriza o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas do Estado. 

De acordo com os diretores do sindicato o governo tem 72 horas para se manifestar na ação protocolada pelo Sindiupes, que pede à Justiça que as aulas presenciais nas escolas da rede pública não sejam retomadas a partir de 13 de outubro, como definiu o governo. 

O procurador-geral do Estado, Rodrigo Francisco de Paula, confirmou na tarde de quinta-feira (1), que recebeu a notificação da Justiça para a manifestação no processo em 72 horas. 

De acordo com ele, a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) já enviou à PGE toda a documentação, com todos os convites, que foram feitos a entidades representativas para participar das reuniões de discussão do protocolo.

"Essas reuniões foram por vídeo e todas foram gravadas. Todas as entidades fizeram sugestões e temos isso gravado  para mostrar que é um processo amadurecido para a tomada de decisão. O governo do Estado está muito seguro com essa decisão de autorizar o retorno das atividades presenciais nas escolas", enfatizou.

Uma decisão da Justiça em outro processo, movido pelo Sindicato dos Professores do Espírito Santo (Sinpro), determinou que a volta das aulas presenciais nas escolas da rede privada seja suspensa. O retorno estava autorizado pelo governo para ocorrer a partir de segunda-feira (5). 

A PGE está recorrendo da decisão e uma audiência de conciliação, via videoconferência, com o Tribunal Regional do Trabalho do Espírito Santo (TRT-ES) foi marcada para segunda (5), às 13 horas.
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS