Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Quem são as vítimas já identificadas da tragédia no Sul do Estado

| 23/01/2020 09:16 h | Atualizado em 23/01/2020, 10:12

Osvaldo e Antônia morreram no soterramento
Osvaldo e Antônia morreram no soterramento |  Foto: Acervo Pessoal
Sete pessoas morreram na enxurrada que afetou o Sul do Estado no fim de semana. Foram quatro em Iconha e três em Alfredo Chaves. 

Uma pessoa de Iconha segue desaparecida. Confira quem são as vítimas do desastre:

Antônia e Osvaldo

O casal, Antônia Berlamino Barbosa e Osvaldo da Silva Barbosa, foi atingido pelos escombros da casa quando uma pedra deslizou e atingiu a residência em Cachoeirinha, em Alfredo Chaves. Outras duas pessoas morreram durante as chuvas no município, mas os nomes não foram divulgados.

O padeiro Antenor Sabino tinha 61 anos.
O padeiro Antenor Sabino tinha 61 anos. |  Foto: Acervo da família
Antenor Sabino

O padeiro Antenor Sabino, de 61 anos, aguardava a água baixar em um ponto de ônibus, para conseguir caminhar até sua casa na comunidade de Bom Destino, no interior de Iconha, mas, foi surpreendido pela força da enchente que arrastou um poste e destruiu o ponto de ônibus.
Seu corpo foi encontrado sábado, enterrado na areia, perto da Igreja Católica.

Alexandre Sofiate, tinha 30 anos e era comerciante.
Alexandre Sofiate, tinha 30 anos e era comerciante. |  Foto: Acervo de famíia
Alexandre Sofiate

O comerciante Alexandre Hantequeste Sofiate, 30, era dono de um bar na comunidade de Bom Destino, no interior de Iconha. O comércio foi tomado pela correnteza e Alexandre tentou subir no telhado e não conseguiu. A mulher dele o segurou pelas mãos, só que a força da enchente o levou, e ele morreu.

Imagem ilustrativa da imagem Quem são as vítimas já identificadas da tragédia no Sul do Estado
Alaécio Tavares

O agricultor Alaécio Tavares, 53 anos, morreu soterrado no distrito de Recreio, na zona rural de Alfredo Chaves. Ele havia saído de casa para ajudar outras vítimas da chuva, a 50 metros de distância. Quando retornava, um barranco deslizou em cima da estrada por onde Alaécio passava, atingindo o agricultor. “Ele morreu como herói”, disse Bruno Tavares, de 25 anos, sobrinho da vítima.

Gelsenir de Lima Bouguignon, de 50 anos, está desaparecida.
Gelsenir de Lima Bouguignon, de 50 anos, está desaparecida. |  Foto: Acervo de família
Gelsenir de Lima

Gelsenir de Lima Bourguignon, 50, desapareceu durante a forte chuva em Iconha. Ela estava em casa e subiu no telhado para fugir da enchente, quando a correnteza destruiu o imóvel e arrastou Gelsenir. Um corpo foi encontrado, mas a família não reconheceu como o dela. Exames serão feitos para confirmação.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS