Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Protesto de pescadores em Vitória vai ter doação de 1 tonelada de peixe

| 22/08/2021 12:54 h | Atualizado em 23/08/2021, 08:34

Imagem ilustrativa da imagem Protesto de pescadores em Vitória vai ter doação de 1 tonelada de peixe

O Sindicato dos Pescadores profissionais, artesanais, aquicultores, marisqueiros, criadores de peixes do Estado (Sindipesmes) vai realizar um protesto diferente, na próxima terça-feira (24). Além de fazer uma passeata da Praça do Papa, em Vitória, até a Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales), os pescadores vão doar uma tonelada de pescados para quem estiver no local. 

Segundo João Carlos Gomes da Fonseca, um dos organizadores da manifestação, essa é uma tentativa de chamar a atenção do governo do Estado para a causa dos profissionais de diversos segmentos que compõem a cadeia da pesca de camarão da Praia do Suá, em Vitória, e aguardam para serem indenizados após o desastre de Mariana.

O rompimento da barragem, que aconteceu em novembro de 2015 no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 km do centro do município brasileiro de Mariana, Minas Gerais, afetou o Rio Doce e, consequentemente, o trabalho de pesca de rio e mar.

Em entrevista ao Tribuna Online, João Carlos contou que a região de pesca de camarões, em Vitória, fica na foz do Rio Doce. "Durante esses anos, a lama de rejeitos de Mariana vem caindo até hoje nos rios e liberando no mar. Então, na nossa área, estão proibidos cerca de 90% dos nossos pesqueiros, nós tivemos uma perda dos nossos lucros de 70%", explicou.

O pescador ainda continuou: "Queremos mostrar ao governo, que a gente existe. Porque nós temos uma tradição aqui no nosso Estado, que favorece os turistas e até o governo do Estado, que se chama Moqueca Capixaba e uma moqueca sem camarão, sem cação e sem badejo não é a Capixaba".

De acordo com o sindicato, os manifestantes devem se concentrar na Praça do Papa, às 8 horas de terça-feira (24). Para às 9 horas está prevista a caminhada até a Assembleia Legislativa (Ales), onde os pescadores participarão de uma Audiência Pública.

Após a audiência, dois grupos vão distribuir os mil quilos de pescados, que já estão empacotados e congelados para a ação. Ainda de acordo com o Sindipesmes, serão cumpridos todos os protocolos sanitários de combate à Covid-19, como uso de máscaras e distanciamento social.

O governo do Estado foi procurado pela reportagem e esta matéria será atualizada tão logo a resposta for enviada.

O outro lado

Por meio de nota, a Fundação Renova informou que "iniciou o atendimento aos pescadores da Enseada do Suá, em Vitória (ES), diretamente impactados pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

O Termo de Acordo que concluiu a avaliação e mensuração dos danos comprovados sofridos pelos pescadores de camarão da Enseada do Suá formalizou os resultados do processo de negociação do Grupo de Trabalho, que incluiu órgãos públicos, Sindicato dos Pescadores e Fundação Renova. Os camaroeiros apresentaram diretrizes para o rateio dos valores, obedecidas a forma de trabalho e os costumes locais.

A proposta de indenização, englobando valores e critérios de elegibilidade, foi construída coletivamente, incluindo oficinas que contaram com participação e mobilização da comunidade pesqueira. O pagamento contempla toda a indenização que os atingidos fazem jus até o ano de 2019, com lucro cessante e danos morais individuais.

Cerca de R$ 14 bilhões foram desembolsados nas ações de reparação e compensação até junho, tendo sido pagos R$ 4,7 bilhões em indenizações e auxílios financeiros emergenciais para mais de 328 mil pessoas".

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS