X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Professora faz poema sobre “lamento do rio” após enchente. Assista

| 28/01/2020 14:43 h

Em meio a tanta destruição por causa das chuvas no Espírito Santo, um poema tem emocionado quem mora nas áreas atingidas pelas enchentes e sensibilizado milhares de pessoas na internet.

Intitulado “Lamento de um rio…”, o poema viralizou nas redes sociais. A autora é a professora Scheilla Lobato, 43 anos, moradora de Cachoeiro de Itapemirim, que conversou com o Tribuna Online. A pedido da reportagem, e com a colaboração da Revista Styllus, de Cachoeiro, ela gravou um vídeo declamando a poesia.

“Foi como se o rio estivesse clamando para que eu fosse sua porta-voz, para pedir perdão para as pessoas”, revelou.

Todo o poema está escrito como se o Rio Itapemirim falasse para as pessoas e pedisse perdão pelos estragos causados. Os primeiros versos já comovem: “Me perdoem por toda esta ‘bagunça’… Eu só queria passar. Eu não fui feito pra destruir… Eu só queria passar”.

Em outro, ela fala: “Não sou seu inimigo. Não sou um vilão. Não nasci pra destruição… Eu só queria passar. Era o meu curso natural”.

Há 16 anos Sheilla dá aulas para crianças de até 3 anos. Ela conta que sempre gostou de escrever e, ao ver as ruas da cidade tomadas pela água no fim de semana, se sensibilizou para colocar no papel o sentia no coração.

“Já fui esperança para os navegantes, rede cheia para pescadores, refresco para os banhistas em dias de intenso calor. Hoje sou sinônimo de medo e dor”, escreveu Scheilla.

O poema foi escrito na segunda-feira (27) e publicado por ela nas redes sociais às 10h45. A postagem já recebeu mais de 15 mil curtidas e quase 23 mil compartilhamentos, além de 4,6 mil comentários.

A professora relatou que tem amigos que perderam tudo na enchente e não tinha como se sensibilizar com a situação. “Foi como se eu tivesse em contato com o rio e, ao mesmo tempo, reportando a situação das famílias. São muitas emoções”, descreveu.

Ela contou que a primeira frase que pensou foi “eu só queria passar”. A partir daí, o restante do poema começou a fluir. “Fiz anotações no papel para não perder as ideias e fui dormir. No dia seguinte, finalizei o texto e publiquei”, afirmou.

Repercussão

Após a repercussão da postagem do poema, Scheilla tem recebido inúmeras mensagens de carinho, a maioria de pessoas desconhecidas, muitas delas de fora do Estado. “Tocar o coração das pessoas e poder conscientizar é muito bom”, destacou a professora.

Ela descreveu que as ruas de Cachoeiro pareciam um “cenário de guerra” quando a água baixou e até agora se emociona ao relembrar as cenas.

Sheylla diz que escrever é um hobby, mas até já possui um livro publicado e tem vários outros textos prontos. “Gosto de escrever sobre o que está ao meu redor”, contou.

Veja o poema:

Lamento de um rio…
Scheilla Lobato

Me perdoem por toda esta "bagunça"…
Eu só queria passar
Eu não fui feito pra destruir…
Eu só queria passar

Já fui esperança para os Navegantes...
Rede cheia para Pescadores...
Refresco para os banhistas em dias de intenso calor
Hoje sou sinônimo de Medo e Dor…
Mas, eu só queria passar…

Me perdoem por suas casas
Por seus móveis e imóveis
Por seus animais
Por suas plantações…
Eu só queria passar

Não sou seu inimigo
Não sou um vilão
Não nasci pra destruição...
Eu só queria passar

Era o meu curso natural
Só estava seguindo meu destino
Mas, me violentaram
Sufocaram minhas nascentes
Desmataram meu leito…
Quando eu só queria passar

Encontrei tanta coisa estranha pelo caminho
Que me fizeram Transbordar...
Muros
Casas
Entulhos
Garrafas
Lixo
Pontes
Pedras
Paus...
Tentei desviar…
Porque eu só queria passar

Me perdoem por inundar sua história
Me perdoem por manchar esta história...
Eu só estava passando…
Seguindo o meu trajeto
Cumprindo o meu destino:
Passar....
 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS