Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Professor oferece meio ponto para aluna abrir câmera após saber que ela está nua

| 01/10/2020 16:10 h | Atualizado em 01/10/2020, 16:41

Imagem ilustrativa da imagem Professor oferece meio ponto para aluna abrir câmera após saber que ela está nua

Um professor de Direito Penal ofereceu meio ponto extra para uma aluna ligar a câmera durante uma aula online da Faculdade de Direito de Franca, em São Paulo, após a universitária afirmar que estava sem roupa.

O caso aconteceu na última segunda-feira (28), durante uma aula online , e começou a causar polêmica quando o vídeo foi divulgado nas redes sociais. As informações são do Metropoles.

Em um momento da aula, o professor pede para que a aluna ligue a câmera. Ela diz que não e afirma que está sem roupa porque iria tomar banho. "Não posso abrir", diz. Logo em seguida, o homem diz: "Meio ponto para você abrir a câmera". Ele ainda insiste e fala "abre a câmera aí". 

Com mais uma negativa da estudante, o professor questiona: "Sério que você me falou isso no meio da aula?". Ele então repete: "Meio ponto". 

A aluna acabou entendendo que havia ganhado o ponto extra e agradece. “Não, (o meio ponto) é para você abrir a câmera. Acha que eu vou te dar meio ponto para você abrir o áudio e vir me chatear?”, pergunta o docente.

A estudante nega mais uma vez e ainda afirma que abrir a câmera "não vale", se referindo ao ponto que ganharia e diz que ela pode estudar para ganhar aquela nota. Ao portal GCN, o professor afirmou que conhece a família da universitária e que tudo não passou de uma "brincadeira".

"Em nenhum momento houve assédio. A própria aluna me ligou e disse que não se sentiu assediada. Ela falou o mesmo para o vice-diretor. Eu já a conhecia, os nossos pais trabalharam juntos e existia um contato anterior. Nós temos uma amizade”, explicou Tristão.

Também ao portal, a estudante negou que tenha sido assediada e disse que houve um mal entendido. “A situação foi distorcida e não mostrou toda a situação. Não quis e não quero me identificar pois estou sendo exposta. Eu sou a ‘ofendida’ e ninguém escuta o que eu falo. Parece que só querem aparecer e prejudicar tanto a mim quanto a faculdade e o professor”, afirmou.

Por meio de nota, o Diretório Acadêmico da Instituição repudiou as atitudes do professor. Leia na íntegra:

O Diretório Acadêmico 28 de março vem repudiar os atos de assédio moral e sexual denunciados pelos alunos da Faculdade de Direito de Franca. Reiteramos, como uma pauta já expressa, que todo e qualquer tipo de abuso agravado pela manipulação através das relações de poder instituídas na academia são absolutamente inaceitáveis. Tais práticas, apesar do tom de brincadeira, ferem não apenas a ética das relações educacionais, mas o próprio processo de construção científica e a responsabilidade das instituições na formação de recursos humanos”.

O diretório protocolou ainda um ofício requerendo a abertura de uma sindicância para avaliar a conduta do professor. A direção da faculdade afirmou que vai apurar o que aconteceu e ouvir todos os lados envolvidos.

Caso seja constatado qualquer tipo de assédio ou desrespeito, o professor poderá sofrer punições que vão desde o afastamento até a exclusão.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS