Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Prédio antigo é liberado para virar 106 moradias no Centro

| 09/12/2019 17:14 h | Atualizado em 10/12/2019, 07:34

Edifício Getúlio Vargas, na Praça Costa Pereira, como está atualmente e como ficará após as obras
Edifício Getúlio Vargas, na Praça Costa Pereira, como está atualmente e como ficará após as obras |  Foto: Fábio Nunes/AT / Divulgação

O histórico Edifício Getúlio Vargas, no centro de Vitória, será transformado em um condomínio popular com 106 apartamentos. O local também vai abrigar sete lojas e pode receber um estacionamento rotativo. A previsão é de que a obra tenha início este mês e seja finalizada em 2021 para receber os moradores.

Localizado na Praça Costa Pereira, o antigo prédio do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Industriários (IAPI), pertence ao governo federal e foi cedido para a Associação Habitacional Comunitária do Espírito Santo (AHabita-ES), que será responsável pelo projeto e pelas obras.

O empreendimento será voltado para famílias com renda mensal de até R$ 1.800, através do programa Minha Casa, Minha Vida. Os proprietários vão pagar parcelas entre R$ 100 e R$ 180 por mês durante 10 anos, segundo o administrador técnico da AHabita, Eduardo Fernandes.

Os interessados já começaram a ser cadastrados pela AHabita, mas a seleção será feita pela Caixa Econômica Federal, que gerencia o programa habitacional do governo.
Segundo Fernandes, a Prefeitura de Vitória também fará indicação de famílias já cadastradas pelo município. “Se a pessoa tiver características que se enquadram no programa, famílias que realmente precisam, terão prioridade para obter o imóvel”, afirmou.

No térreo do prédio, haverá espaço para sete lojas, sendo seis de porte médio e uma grande. Além disso, o edifício pode receber um estacionamento rotativo. Toda a renda com aluguel das lojas e vagas de estacionamento será utilizada para custear o condomínio.

De acordo com Eduardo Fernandes, o projeto já tem aprovação da prefeitura, do Corpo de Bombeiros e Caixa Econômica. Falta apenas autorização final do governo federal, prevista para sair na próxima semana. Com isso, a previsão é de que as obras tenham início ainda este mês e durem 15 meses.

Durante a obra, a Caixa Econômica fará a seleção das famílias, que deve ser finalizada quando a obra estiver pronta. A partir daí, serão mais três meses para que os moradores recebam a documentação. Com isso, a previsão é de que o prédio passe a ser ocupado em junho de 2021.
 

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS