X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Policial vai ser padrinho de bebê que salvou em Vila Velha

A pequena Heloá, de um mês, desengasgou e recuperou a consciência após soldado Netto realizar manobra de Heimlich

Jonathas Gomes, do jornal A Tribuna | 03/08/2022 17:22 h

No reencontro,  soldado Netto se diz honrado  com  pedido dos pais Jackson  e Mirele  para ser padrinho de  Heloá
No reencontro, soldado Netto se diz honrado com pedido dos pais Jackson e Mirele para ser padrinho de Heloá |  Foto: Reprodução redes sociais
 

O reencontro do soldado Netto, 29, com a bebê Heloá, de um mês, que foi salva por ele após um engasgo, aconteceu ontem, com uma surpresa: o policial foi convidado para ser padrinho de batismo da pequena.

A autônoma Lívia Rocha, 23, prima da menina que a levou às pressas ao 4º Batalhão da Polícia Militar, em Vila Velha, também foi convidada a ser madrinha de batismo.

A operadora de caixa Mirele Ribeiro, 31, e o operador de máquinas Jackson Campos, 32, pais da bebê, se dizem completamente gratos ao policial e à sobrinha. 

Para a mãe, não houve qualquer dúvida sobre a decisão de convidá-los a ser padrinhos de Heolá. 

“Não há decisão mais certa do que convidá-los como padrinhos. Heloá se engasgou ao golfar, após  mamar, e Lívia a pegou do meu colo e correu para o batalhão. Lá, o soldado Netto a salvou. Os dois salvaram a minha filha”.

Após a comoção para ajudar a menina, juntamente à equipe do batalhão, o soldado Netto se emociona e comemora por reencontrá-la viva e sem qualquer tipo de fratura.  

“Foi a ocorrência mais emocionante da minha vida. Reencontrá-la sem lesões foi motivo de alegria. Será uma honra ser padrinho de Heloá e é muito gratificante o  reconhecimento. Nos dá mais motivação no dia a dia”, afirma o militar.

O policial conta, ainda, que nunca viveu nenhuma experiência parecida em seus nove anos de profissão. Agora, ele se diz feliz e à espera da cerimônia, que ainda não tem uma data confirmada.

Lívia Rocha, prima de Heloá, conta que não esperava pelo convite para madrinha de batismo e diz que irá amá-la como  filha.

“Somente Deus pode recompensar os policiais pelo que fizeram por nós, especialmente o soldado Netto, que agiu com tanta rapidez.  Estou muito feliz  por ser escolhida como madrinha  para batizar a pequena  Heloá. Irei  amá-la como amo meus filhos”.

A ocorrência foi na última sexta-feira. Após engasgar, Heloá não conseguia respirar e já estava inconsciente. 

A menina desengasgou e recuperou a consciência após o soldado realizar a manobra de Heimlich, técnica de primeiros socorros em emergência por asfixia.

“Ele será parte da vida da Heloá”

Ao ver o sofrimento da filha Heloá, com apenas um mês de idade, durante um engasgo, a operadora de caixa Mirele Ribeiro, 31, chegou a ficar paralisada. 

Moradora do Ibes, em Vila Velha, ela logo buscou socorro no 4º Batalhão da Polícia Militar, no bairro. Com a ajuda de sua sobrinha Lívia, ela entregou a filha nas mãos do soldado Netto.

A cena do momento do desengasgo da filha chocou  Mirele, mas trouxe uma boa notícia: “Heloá ganhou uma nova vida”, em suas palavras.

Em reconhecimento ao ato heróico do policial, não restaram mais dúvidas sobre a escolha do padrinho de batismo da menina. Agora, de acordo com a mãe, ele é como um segundo pai da pequena. 

A Tribuna: Qual é o seu sentimento em relação ao que o soldado Netto fez?

Mirele Ribeiro: Imensa gratidão. Ele será sempre parte da vida da Heloá. Ele, com certeza, se superou ao salvar a minha filha. Era um momento muito delicado, ela já estava até roxa. Sou grata primeiramente a Deus e, depois, ao soldado Netto e a minha sobrinha Lívia.

Quando você decidiu convidá-lo para ser padrinho?

No hospital, quando vi a recuperação da minha filha, já pensei em convidá-lo. Ele a trouxe de volta para mim e é uma bênção na vida dela. Só estamos aguardando a data correta do batismo e já fiz o convite.  A partir de agora, ele será para sempre como alguém da nossa família. É como um segundo pai de Heloá. 

Como foi o reencontro com o soldado Netto e a equipe de policiais?

Foi maravilhoso e emocionante. Minha filha ganhou uma nova vida. É como se ela tivesse nascido de novo, com uma nova data de aniversário. Foi um momento de desespero, mas a superação  ficará marcada para sempre na história dela. 

Como está a saúde de Heloá?

Ela está completamente bem.  Fez todos os exames necessários e venceu aquela batalha sem sequer uma fratura. No hospital, ela ficou em observação e descobrimos que o engasgo ocorreu por conta de um refluxo. Agora, a pediatra já até prescreveu os remédios para o tratamento.

Qual foi sua reação no momento do acidente?

Eu fiquei desesperada. Tentei de tudo para desengasgá-la, mas não conseguia. Quando a vi tão vermelha e sofrendo, achei que iria perdê-la. Lívia, minha sobrinha, a tirou de minhas mãos e correu para o batalhão. Eu já não conseguia fazer nada. Cheguei a ficar sem chão.

Você considera que sua filha viveu um milagre?

Com certeza. Deus guiou o soldado Netto naquele momento e o fez vencer o nervosismo e toda a situação inesperada daquele acidente. Foi um milagre na vida da minha filha. Reconheço que, senão fosse o policial e minha sobrinha, nada disso seria possível. 

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS