X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Passeios e celular incluídos na rotina dos “feras do Enem”

Alunos com as melhores notas no exame nacional comemoram e contam que também não ficaram longe do celular

Ana Carolina Favalessa, do jornal A Tribuna | 11/02/2022 18:04 h | Atualizado em 11/02/2022, 18:18

Luka, Laryssa e Flávia alcançaram 960 pontos na prova de Redação do Enem conciliando estudo com o lazer
Luka, Laryssa e Flávia alcançaram 960 pontos na prova de Redação do Enem conciliando estudo com o lazer |  Foto: Lucas Sandonato/AT
 

Conciliar estudos e lazer foi a base dos “feras do Enem” (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano, que se agarraram aos livros com dedicação, mas sem deixar os passeios, os momentos com a família e a vida social no celular de lado.

O resultado do exame foi divulgado na quarta-feira (9), dois dias antes do previsto, e muitos alunos já comemoram o desempenho na prova, seja pela boa nota na média geral, seja pelo notão na Redação. 

Entre eles, estão os candidatos Luka Martins da Silva, Laryssa Souza Baesse e Flávia Cavalcanti, de 18 anos, que são ex-alunos da Escola Monteiro e conseguiram alcançar 960 pontos na Redação.

Agora, eles aguardam o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para que consigam ingressar em uma faculdade com a nota do exame.

“Não precisei deixar de ter vida social e momento de lazer para estudar. Tentei, ao máximo, encontrar um equilíbrio. Afinal, descansar também faz parte para um bom rendimento”, contou Laryssa.

Ela, que pretende fazer Medicina ou Medicina Veterinária, relatou que estudava todos os dias depois da escola, fazia simulados e redações aos sábados, e o domingo era dia de descanso. “Era um momento para sair, ficar com minha família, ler, ver série e descansar”.

Já Luka contou que a estratégia que seguiu para atingir o resultado foi treinar bastante a redação e marcar menos compromissos de lazer. “Mas, quando queria sair no fim de semana, não deixava de sair”, disse ele, que pretende cursar Publicidade e Propaganda.

Flávia destacou que, com a nota alta, se sente até mais capaz. “Superei minhas expectativas”, disse. 

Ela contou que o último ano foi difícil, devido à pandemia e às grandes cobranças para o exame. “É preciso ter equilíbrio. Se a pessoa se sobrecarregar além do limite, não vai conseguir. Mas, ao mesmo tempo, não pode achar que as coisas vão acontecer sem esforço”.

O diretor do pré-vestibular CHM, Diego Matheus Rodrigues Bernardo, relembrou que os alunos que realizaram o Enem em 2021 para valer estavam há, pelo menos, dois anos com aulas remotas. “Qualquer resultado positivo tem de ser ainda mais louvável”.   

Para o diretor de ensino do pré-vestibular Madan, Daniel Rojas, a dica agora é olhar o resultado do exame e se comparar com anos anteriores. “Se for alta, ótimo, espera o Sisu. Se não, precisa repensar como vai estudar neste ano”.

Nota do exame nacional pode ser usada até no exterior

Além de poder ser usada para entrar em universidades de todo o Brasil, a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também pode ser utilizada para ingressar em faculdades do exterior.

Só em Portugal, pelo menos 50 instituições aceitam a nota do Enem para selecionar candidatos brasileiros. Entre elas, estão a Universidade de Coimbra e a Universidade do Algarve.

Outro país que aceita o exame é o Reino Unido, em universidades como Oxford, Kingston e Bristol.

Mas, cada local apresenta o seu processo seletivo, e alguns precisam de requisitos como fluência em inglês e histórico escolar.

No País, as notas do Enem podem ser utilizadas no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para ingresso em instituições públicas; no programa Nossa Bolsa e no Prouni, que concedem bolsas de graduação, e no Fies, que financia o pagamento de instituições particulares, por exemplo.

No Estado, mais de 30 faculdades utilizarão a nota do Enem como forma de ingresso, podendo ser por esses diversos programas.

Para o Sisu, as inscrições já começam na próxima terça-feira (15), pelo site: sisu.mec.gov.br. As do Prouni se iniciam no próximo dia 22 e irão até dia 25. As inscrições do Fies acontecem de 8 a 11 de março.


BONS ALUNOS


Imagem ilustrativa da imagem Passeios e celular incluídos na rotina dos “feras do Enem”
 

Redação de 980 pontos

Os destaques dos alunos Lorenzo Smith Coutinho, 19, Corina Delmaestro Claeys, 18, e Adriana Cordeiro, 19, do curso preparatório Madan foram diversos. 

Lorenzo conquistou uma média geral de 830 pontos. Já Corina e Adriana se diferenciaram na Redação: alcançaram 980 pontos.

Lorenzo, que se destacou em Matemática, com 920 pontos, contou que foi um alívio ver a nota.

Já Corina dá uma dica para quem fará o exame neste ano: fazer pelo menos uma redação por semana. “Escrever bem ajuda em vários momentos, não só na prova de Redação”.

Imagem ilustrativa da imagem Passeios e celular incluídos na rotina dos “feras do Enem”
 

Lazer ajudou

O Enem teve um significado especial para a estudante do pré-vestivular CHM Larissa Cecatto, 18. Ela, que zerou a Redação em 2020, porque teve crise de ansiedade na hora da prova, alcançou 980 pontos desta vez. Ela trabalhou a saúde mental e não deixou o lazer de lado. “Nunca deixei de fazer atividade física, foi uma válvula de escape”.

Imagem ilustrativa da imagem Passeios e celular incluídos na rotina dos “feras do Enem”
 

Prática

“Estou tão feliz”. Foi essa a expressão que a estudante da escola estadual Ceciliano Abel de Almeida, em São Mateus, Isabelly Pocidonio da Silva, 18, usou ao dizer o que sentiu ao conquistar 960 pontos na prova de Redação do exame.

“Achei que tivesse ido muito mal. Foi um tema que senti insegurança. Com essa surpresa, tive a certeza que a prática é essencial”, afirmou.

Imagem ilustrativa da imagem Passeios e celular incluídos na rotina dos “feras do Enem”
 

Domingo com a família

Depois de tanta dedicação, alcançar 940 pontos na Redação do Enem foi gratificante para a estudante do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) de Linhares Victória Ebert Cafeu, 18.

Ela contou que, durante o ano anterior, o espaço para lazer era curto, mas importante. “O domingo era o dia que tirava para passar com minha família”.  

Relatou também que perdeu o avô paterno em meio à preparação para o Enem, o que a deixou desanimada e com crises de ansiedade. Mas, buscou se ocupar com os estudos.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS