X

Olá! Você atingiu o número máximo de leituras de nossas matérias especiais.

Para ganhar 90 dias de acesso gratuito para ler nosso conteúdo premium, basta preencher os campos abaixo.

Já possui conta?

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Pernambuco
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo
Espírito Santo
arrow-icon
  • gps-icon Pernambuco
  • gps-icon Espírito Santo

Cidades

Novas regras para produção de hambúrguer no Brasil. Veja o que muda

Formato e percentual de gordura estão entre as mudanças na fabricação


Maior percentual de gordura permitido e especificações mais claras no rótulo dos produtos estão entre as mudanças nas normas para produção de hambúrguer no Brasil. O novo regulamento técnico foi publicado pelo Ministério da Agricultura (Mapa) na última segunda-feira (26) e o prazo para adequação às regras é de um ano.

As alterações valem para produtos que são produzidos em estabelecimentos sob o Selo de Inspeção Federal (SIF), como os frigoríficos. Ou seja, as normas não valem para açougues, supermercados e outros locais registrados em outros serviços de inspeção, estaduais ou municipais. As informações são do site Globorural.

Veja algumas mudanças na produção de hambúrguer:

1) FORMATO

O Ministério da Agricultura define o hambúrguer como um “produto cárneo industrializado obtido a partir da carne moída de animais de açougue, adicionado ou não de tecido adiposo e ingredientes, moldado na forma de disco ou na forma oval, e submetido a processo tecnológico adequado”.

Agora, o hambúrguer poderá ser moldado em outros formatos, desde que a diferença seja especificada em seu registro e no rótulo. 

2) GORDURA

Outra mudança é no percentual máximo de gordura, que passou de 23% para 25%. Já os limites de carboidratos totais máximos, de 3%, e de quantidade mínima de proteína, de 15%, foram mantidos.

3) COLÁGENO

Outra mudança é que foram incluídos os valores limites de colágeno em relação à proteína. Para hambúrguer de carne suína e bovina, é de 20% e para produtos de aves e coelhos, de 10%. Para demais proteínas animais, de 25%.

4) CORTE

A indicação do corte de carne do hambúrguer só poderá ser incluída na denominação de venda o produto for 100% fabricado com aquela parte do animal. Se for utilizado mais de um corte diferente de carne, a indicação na embalagem deve especificar as porcentagens de cada um na composição.

5) RÓTULO

Se o produto for produzido com mais de uma espécie de animal, a indicação também deverá constar no rótulo com as porcentagens de cada um na composição. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Leia os termos de uso

SUGERIMOS PARA VOCÊ: