Login

Atualize seus dados

CHEIA

Nível dos rios sobe e deixa cidades do Estado em alerta

Chuvas dos últimos dias provocaram aumento drástico do volume de água dos rios, e a preocupação é com as enchentes

21/10/2021 15:57:17 min. de leitura

Após um longo período de seca que fez cair o nível dos rios em todo o Estado, a situação agora começa a se inverter.

As constantes chuvas dos últimos dias provocaram um aumento drástico do volume de água dos rios, deixando alguns municípios em alerta para transbordamento e alagamento das ruas.

A situação é mais crítica no Sul do Estado. Em Cachoeiro de Itapemirim, o Rio Itapemirim chegou a 1,70 metro acima do nível normal. Na quarta-feira (20), baixou para 1,10m, mas a Defesa Civil manteve o alerta, pois ainda chove nas cabeceiras. 

Também continuam em situação de alerta os municípios de Castelo, Vargem Alta e Dores do Rio Preto.

Em Castelo, o Rio Castelo chegou a 2,7 metros acima do nível normal e alagou ruas dos bairros Niterói e Garagem. O prefeito da cidade, João Paulo Nali, informou que o plano de contingência das enchentes  foi acionado. Ao todo, 42 servidores, além de veículos e equipamentos foram deslocados para auxílio preventivo aos moradores ribeirinhos.

Já a Defesa Civil está monitorando as águas que descem pelo afluente que corta a cidade. Até o momento, não há famílias desalojadas.

No distrito de Pacotuba, em Cachoeiro, os moradores viveram momentos de tensão, com medo de a água invadir suas casas. De acordo com o coordenador de Defesa Civil, Elio Carlos Miranda, uma equipe do órgão permaneceu até as 23h30 da última terça-feira (19) monitorando o rio.

“Chegou à cota de transbordo, o nível chegou a 2,30 metros, mas depois estabilizou. Quando percebemos que não subiria mais, tranquilizamos a população”, disse.

O diretor-presidente da Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), Fábio Ahnert, ressaltou que o governo do Estado está monitorando as vazões, principalmente no Sul do Estado. “Existe a preocupação, pois a região recebe um índice maior de chuva e tem histórico de inundação”, disse.

Na Grande Vitória, o nível dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória também subiu, mas não há risco, no momento, de extravasamento.

Governo mantém estado de atenção  para a seca

Apesar da chuva das últimas semanas, o governo do Estado manteve o estado de atenção para a ameaça de escassez hídrica.

O decreto está em vigor desde o dia 24 de setembro, quando o Espírito Santo atravessava um longo período de seca prolongada. 

A resolução, publicada  pela Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh), fez uma série de recomendações para a economia de água. O objetivo era evitar o desperdício e descartar situações mais drásticas, como o racionamento.

“Quando a Agerh fez a resolução, o nível dos rios estava muito baixo, e não tínhamos a confirmação de um período chuvoso. Como ainda estamos na fase inicial das chuvas, achamos prudente não tirar o estado de atenção porque ainda precisamos observar se nível e vazão vão se estabilizar”, afirmou o diretor-presidente da Agerh, Fábio Ahnert.

Em setembro, o nível e a vazão dos principais rios do Estado estavam em queda, aproximando-se da situação crítica, principalmente nas regiões Norte, Noroeste e Grande Vitória.

“Quando está chovendo, naturalmente fica mais alto, como está agora. Mas teremos dias sem chuva, e nesse período a vazão cai. É quando precisamos observar para verificar se estão estabilizados em valores normais”, explicou Fábio Ahnert.

Quando decretou o estado de atenção, a Agerh fez uma série de recomendações para moradores, prefeituras, indústrias e agricultura. 

Aos moradores, a orientação é para que fosse evitado lavar calçadas e veículos com o uso de mangueiras. Já para os empreendedores agrícolas, a recomendação é para que adotassem, preferencialmente, o período noturno para irrigação dos cultivos, bem como ampliassem o uso racional e de captações de águas de chuva.

Mesmo com a possível saída do Espírito Santo do estado de alerta, Fábio Ahnert diz que o uso racional da água precisa ser uma atitude constante. “É preciso manter, transformar em uma cultura saudável de economia”, afirmou.

Imagem ilustrativa da imagem Nível dos rios sobe e deixa cidades do Estado em alerta
Fabio Ahnert: economia de água Foto: Divulgação/Agerh
 

Saiba mais

Nível dos rios

Rio Itapemirim

Chegou a 1,70 metro acima do nível normal durante a chuva dos últimos dias.

Rio Castelo

Chegou a 2,7 metros acima do nível normal também em função das chuvas dos últimos dias.

Vazão dos rios

Rio Jucu

A vazão média é de 15.950 litros por segundo.

O nível crítico é de 6.260  litros por segundo.

Em setembro, a vazão chegou a 8.289  litros por segundo

Agora, está em 43.272  litros por segundo.

Rio Santa Maria da Vitória

A vazão média é de 7.525 litros por segundo.

O nível crítico é de 2.895 litros por segundo.

Em setembro, chegou a 3.135 litros por segundo.

Agora, está em 26.901  litros por segundo.

Fonte: Agerh e Defesa Civil dos municípios.