X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Moradores da Praia do Canto acionam o Ministério Público para impedir blocos clandestinos

| 03/02/2020 20:50 h | Atualizado em 03/02/2020, 21:09

Após o bloco de Carnaval clandestino que ocorreu no último sábado (1º), no no Triângulo das Bermudas, na Praia do Canto, em Vitória, motivou moradores que que fazem parte do "Movimento Praia do Canto Merece Mais" a acionaram o Ministério Público nesta segunda-feira (3).

Dois traficantes foram presos, além de confusão entre foliões, apreensão de nove caixas de som e 11 multas para veículos por som alto. A intenção dos moradores é evitar a realização de novos eventos clandestinos na região.

As representações são

  • Para responsabilização dos agentes públicos, que, segundo a nota, não cumpriram na sua obrigação de preservar a lei e a ordem;
  • Confecção de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC)* para todo e qualquer evento que ocorra na Praia do Canto, principalmente o "Baile do Mandela", com medidas preventivas obrigatórias pré-determinadas impostas à PMV, sob pena de punição exemplar.

No comunicado divulgado nesta segunda (3), membros do movimento também declaram que ingressaram com duas representações no Ministério Público do Espírito Santo (MPES) e que antes do evento se antecipou à Prefeitura de Vitória dando conhecimento do evento não autorizado propagandeado pelas redes sociais.

Imagem ilustrativa da imagem Moradores da Praia do Canto acionam o Ministério Público para impedir blocos clandestinos
"Na sexta-feira (31/01), houve reunião com a presença de comerciantes e representantes dos bares e restaurantes, em conjunto com o secretário Fronzio Calheira, a equipe do Disk Silêncio, SEDEC e também a Polícia Militar. O Movimento Praia do Canto Merece Mais´´ também participou através de seu representante legal, Armando Fontoura. Na reunião, foi pedido aos comerciantes que auxiliassem para não estimular a permanência dos frequentadores do baile (não vender bebida para o público externo, não colocar música e ainda custear a colocação de grades e reforço na segurança). Tais providências foram cumpridas à risca pelos bares e restaurantes, conforme nossa própria fiscalização no sábado", diz um trecho do comunicado.

Ações

Organizado pela internet, o evento reuniu cerca de 10 mil pessoas e só terminou na madrugada do último domingo (2). O Secretário de Segurança de Vitória, Fronzio Calheira, avisou que a prefeitura vai criar ações para impedir novos eventos como o do último sábado.

"Vamos ter uma conversa (com a Polícia Militar) para avaliar medidas que podem ser tomadas para aperfeiçoar as ações e impedir esses eventos. O complexo dessa equação é que as pessoas podem se reunir. Não podemos chegar ali e impedir que as pessoas entrem na rua. É um direito constitucional de ir e vir. Isso é o complicado. No último, veio gente de várias partes da cidade e de outras. O que podemos fazer é em cima dos ilícitos e irregular. Podemos coibir ilícitos, arma, droga, som, mas não a circulação", frisou.

A Polícia Militar também se manifestou e divulgou nesta segunda-feira (3) uma nota oficial afirmando que vai se reunir com a Prefeitura de Vitória, MP e moradores e comerciantes da Praia do Canto para também traçar planejamentos para evitar novos blocos clandestinos.

"Salientamos que nos próximos dias a PM estará reunida com a Prefeitura Municipal de Vitória, Ministério Público Estadual, proprietários de bares da região e associações de moradores para efetuar um planejamento efetivo na forma de tentar impedir e inviabilizar festas e blocos de carnavais clandestinos que ponham em risco a segurança do povo capixaba".

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS