Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Meteoro de grande magnitude transforma noite em dia. Veja fotos e vídeo

| 01/10/2020 17:12 h | Atualizado em 01/10/2020, 17:30

Especialistas descrevem que se tratou de um superbólido devido a sua grande luminosidade
Especialistas descrevem que se tratou de um superbólido devido a sua grande luminosidade |  Foto: Reprodução/Metsul
Um meteoro de grande magnitude caiu na madrugada desta quinta-feira (01), no Rio Grande do Sul, despertando a atenção de gaúchos que viram a noite "virar dia" por alguns segundos. O fenômeno astronômico foi registrado pelo Observatório Espacial Heller & Jung, localizado em Taquara, na região do Vale do Paranhana. A explosão iluminou o céu da Serra gaúcha à 1h09 (horário de Brasília), sendo superior à claridade da Lua.
O bólido foi observado em diversas cidades da Metade Norte gaúcha e do Leste Catarinense.
O bólido foi observado em diversas cidades da Metade Norte gaúcha e do Leste Catarinense. |  Foto: Divulgação/Brazilian Meteor Observation Network
Esse foi o maior meteoro registrado desde o início dos trabalhos no centro, em 2016. Ele começou a brilhar a uma altitude de 89,5 km sobre a zona rural de Caxias do Sul, na região da Serra. O clarão também foi registrado em parte de Santa Catarina.

Conforme Carlos Fernando Jung, proprietário do observatório e diretor científico da região Sul da Brazilian Meteor Observation Network (Bramon), o fenômeno se trata de um "superbólido" - meteoro extremamente brilhoso que provoca uma claridade maior do que o tipo fireball, que não explode no final.

"Durante seis segundos, o meteoro brilhou intensamente, superando facilmente o brilho da lua cheia até sua explosão final e extinção a 22 Km de altitude sobre o município de Vacaria, também no Rio Grande do Sul", explicou ao Estadão.

"Durante seis segundos, o meteoro brilhou intensamente, superando facilmente o brilho da lua cheia", explicou Carlos Fernando Jung
"Durante seis segundos, o meteoro brilhou intensamente, superando facilmente o brilho da lua cheia", explicou Carlos Fernando Jung |  Foto: Brazilian Meteor Observation Network
Desde o começo do ano, o observatório já registrou mais de 11 mil meteoros, porém todos de baixa magnitude e massa. "Foi um bólido de grande magnitude, o maior registrado até agora, inclusive no Rio Grande do Sul", afirmou Jung.

Dificilmente a queda de um bólido traz riscos quando entra na atmosfera, informou a MetSul Meteorologia.

"Os fragmentos quando entram na atmosfera 'pegam fogo' e viram essa bola de fogo que explode ao final", ressalta Estael Sias, meteorologista da MetSul.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS