X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Menino de 8 anos morre ao cair de toboágua em parque aquático

Entre os ferimentos, o menino sofreu várias lesões e traumatismo craniano

Agência Folhapress | 14/02/2022 14:14 h

Toboágua em que menino caiu e morreu em parque aquático de Caldas Novas, estava em manutenção
Toboágua em que menino caiu e morreu em parque aquático de Caldas Novas, estava em manutenção |  Foto: Reprodução/Di Roma
 

Um menino de 8 anos morreu depois de cair de um toboágua em um parque aquático em Caldas Novas, um dos maiores destinos turísticos no sul de Goiás, a 171 km da capital do estado, na tarde deste domingo (13). O Corpo de Bombeiros informou que o garoto despencou de aproximadamente 15 metros de altura. A atração estaria fechada para manutenção.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu por volta das 15h em um toboágua chamado "Vulcão", um dos principais atrativos do clube Di Roma Acqua Park. A reportagem tentou contato com o parque pelo telefone na manhã desta segunda (14), mas ninguém atendeu.

Em nota, a Prefeitura de Caldas Novas informou que o menino sofreu várias lesões e traumatismo craniano seguido de afogamento. Ele era de Conselheiro Lafaiete (MG) e estava a passeio com familiares.

O garoto foi atendido, inicialmente, por guarda-vidas do parque e encaminhado, pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), para o Hospital Municipal de Caldas Novas. No momento do resgate, segundo os socorristas, ele estava em estado grave e foi intubado.

Uma equipe área do Corpo de Bombeiros chegou a ser acionada para transferi-lo de helicóptero ao Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), em Goiânia. No entanto, segundo a corporação, o garoto sofreu uma parada cardíaca, o que levou a equipe a suspender a transferência.

De acordo com a prefeitura, a morte foi confirmada pela equipe médica às 19h, e o corpo, encaminhado ao Instituto Médico Legal da cidade.

O superintendente-adjunto da Polícia Técnico-Científica, Ricardo Matos, afirmou que o corpo da criança foi liberado, por volta das 22h de domingo, para a família. Segundo ele, o conteúdo, ainda que parcial, de laudo de medicina legal "constitui parte das investigações policiais, razão pela qual recebe tratamento sigiloso".

O caso deve ser investigado pela Polícia Civil, que ainda deve buscar uma série de informações, como identificar se o clube tinha alguém responsável por monitorar o isolamento das obras do toboágua e saber como a criança conseguiu entrar na área interditada.

Em uma publicação nas redes sociais na semana passada, o clube Di Roma Acqua Park informou aos frequentadores que o "vulcão" estava em obras.

"Com o intuito de garantir a segurança de todos e aumentar ainda mais sua diversão, iniciamos obras em nosso vulcão. Com isso, os toboáguas do vulcão estarão indisponíveis até a finalização da obra, prevista para o dia 30/06", diz a publicação. O post ainda informou que todo o restante do parque aquático "continua funcionando normalmente".

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS