Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

“Mar do Caribe” encanta turistas em Guarapari

Água mais clara tem chamado a atenção das pessoas que frequentam a cidade. Fenômeno acontece em várias praias

Roberta Bourguignon | 23/01/2022 08:48 h | Atualizado em 23/01/2022, 08:48

Casal mineiro,  Sofia Ephram e André Franco, ficou encantado com transparência das águas na Praia das Virtudes
Casal mineiro, Sofia Ephram e André Franco, ficou encantado com transparência das águas na Praia das Virtudes |  Foto: Roberta Bourguignon
 

Após as fortes chuvas e o sol de verão que voltou a brilhar, o mar de Guarapari, com água mais clara, é comparado novamente ao ‘Mar do Caribe’ e encanta turistas.

  O fenômeno é registrado em praias menores, como a das Virtudes, dos Namorados, das Castanheiras, Setiba, dos Padres e Areia Vermelha.

O casal de Belo Horizonte, Minas Gerais, a arquiteta Sofia Ephram, 26 anos, e o engenheiro civil André Franco, 30, escolheu a Praia das Virtudes para passar o dia. Eles  ficaram perplexos com a cor da água.  

“Não é todo dia que a água fica tão clarinha assim. Percebemos a água bem mais clara hoje (ontem), e lembra mesmo o mar do Caribe”, brinca ela.

 O oceanógrafo, professor e pesquisador do departamento de Oceanografia e Ecologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Agnaldo Martins, explicou as razões que contribuem para que as águas dessas praias fiquem mais transparentes.

“Pelos dados meteorológicos, o fenômeno parece ser uma combinação de pouco vento e baixa ondulação chegando de alto-mar. Apesar de ter chovido muito recentemente, Guarapari não fica perto da foz de um grande rio como o Doce ou Paraíba do Sul, que ainda estão jogando muita lama no mar. E por isso a água fica mais clara”, destaca o pesquisador.  

São três fatores, segundo o oceanógrafo, que influenciam na coloração da água: o vento, a ondulação da água e a quantidade de água de rio que deságua no mar. 

“Esses fatores contribuem para ter muito material em suspensão, partículas como areia, lama, e qualquer coisa que se mistura com água e escurece o mar. A intensidade do vento que forma a ondulação que chega do alto-mar não tem a ver com o vento local e sim o vento que sopra mais distante”, esclarece Martins.  

Na análise realizada, os fatores que escurecem a água não estão acontecendo na cidade. 

 “Nesse período mais recente, não teve uma intensidade de vento muito grande. A ondulação que entrou, que foi o principal fator, foi muito fraca. A água mais clara assim coincide de acontecer no verão porque o sol está mais forte, mas acontece em outras épocas também”, completa o oceanógrafo.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS