Login

Atualize seus dados

Lixo e vegetação de Iconha chegam às praias de Piúma

21/01/2020 10:26:17 min. de leitura

Imagem ilustrativa da imagem Lixo e vegetação de Iconha chegam às praias de Piúma
Moradores e turistas observam da ponte o lixo que chega às praias de Piúma através do Rio Novo Foto: Roberta Bourguignon

Por causa das fortes chuvas dos últimos dias, móveis, eletrodomésticos, entulho e vegetação da cidade de Iconha, no Sul do Estado, estão chegando às praias de Piúma.

É que o Rio Novo, que corta as cidades, deságua no mar de Piúma, o que provoca sujeira nas praias.

Durante o final de semana, banhistas chegaram a juntar o lixo na areia. A Secretaria Municipal de Obras de Piúma está recolhendo o lixo, segundo o gerente municipal da Defesa Civil, Haroldo Sérgio, mas as máquinas não podem trabalhar na areia, devido à maré alta.

“Além do entulho e dos objetos, muita vegetação desceu e precisa ser retirada. O município está empenhado em fazer a limpeza, todo o possível está sendo feito. Mas, como a maré está alta, não tem como as máquinas entrarem para trabalhar na areia”, disse Haroldo.

Moradores e turistas observam da ponte da cidade todo o lixo chegando pelo rio.

Segundo comerciantes da região, como foram vistas seringas no rio, algumas pessoas chegaram a dizer que se tratava de lixo hospitalar, do Hospital e Maternidade Danilo Monteiro de Castro, de Iconha.

Mas a dúvida já foi esclarecida pelo secretário de Saúde de Piúma, Alexandre Marconi da Silva, que chegou a gravar um vídeo com o diretor do hospital, Rômulo de Souza Ribeiro.

“O boato em relação à contaminação da praia de Piúma com detrimento do lixo hospitalar de Iconha é falso”, afirmou o secretário.

“A coleta foi feita justamente na sexta-feira à tarde, portanto, não tinha montante de lixo suficiente para que haja contaminação preocupante na praia de Piúma. Vamos fazer uma análise da água do mar do município, mas em relação ao lixo hospitalar, não temos preocupação”, completou.

Canal
Por medo da enxurrada invadir as casas ribeirinhas da região de Itaputanga, em Piúma, moradores começaram a abrir o canal na noite de sexta-feira (17), durante as fortes chuvas, e a prefeitura terminou os trabalhos na manhã de sábado (18).

O lavador de carros e morador de Piúma José Justino, de 51 anos, relatou que foi uma grande correria.

“Quando chove muito, como desta vez, a gente vem correndo abrir o canal, para ajudar a água a escoar. A água sobe e, se não abrir o canal, inunda tudo aqui, e os ribeirinhos são atingidos”, contou.

Quem vive do turismo na praia de Piúma reclama, pois com o canal aberto, uma quantidade maior de lixo vai parar no mar, provocando o afastamento dos turistas.