X

Olá, faça o seu cadastro para ter acesso a este conteúdo

*Você não será cobrado

Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

“Experimentar é o pior arrependimento da minha vida”, diz universitário

| 12/08/2021 17:30 h

Ainda na adolescência, a decisão: experimentar maconha. Os anos foram passando e, com eles, veio também o uso de outras substâncias, como cocaína e crack.

Hoje, aos 28 anos, um estudante de Direito já passou por 12 internações, sendo nove involuntárias.

À reportagem, ele contou parte da luta que tem travado.

Nos seis primeiros meses do ano, foram 321 internações voluntárias no Espírito Santo.

A Tribuna – Quando foi apresentado às drogas?

Universitário – Foi aos 14 anos. Comecei com maconha, mas também fiz uso de alucinógeno, LCD, ecstasy. Também usei crack por um período curto: dois meses.

Foi internado quantas vezes?

Foram nove internações involuntárias e três voluntárias, a partir de 2019. Confesso que a internação à força causa um impacto muito grande na vida de uma pessoa, mas é necessária, já que é preciso tratar dessa doença.

Sempre teve o apoio da família?

Eles nunca me abandonaram. Eu que, em determinado período da minha vida, os abandonei.

Saiu de casa?

Sim. Com 23 anos fui morar só. Não morei na rua, mas passei muitas noites nas ruas. Mesmo morando sozinho, eu ia para as ruas, pois me sentia livre e tinha companhias de pessoas que, assim como eu, vagavam.

Por conta das drogas, trancou a faculdade?

Sim. Comecei a faculdade de Direito em 2011, cursei quatro anos, mas tranquei porque não conseguia ir para a sala de aula.

Foram muitas recaídas, entre internações e tentativas de recomeçar. Comecei a fazer outra faculdade, de Filosofia, mas desisti depois de dois períodos. Voltei a fazer Direito e estou no último período. Quero exercer a advocacia.

Acredita que um dia poderá se livrar das drogas?

Isso não tem cura, mas tem como controlar. Faço acompanhamento terapêutico, que tem me ajudado muito.

Qual mensagem deixa para quem pensa em usar drogas?

Não entra nessa porque às vezes há uma romantização muito grande. As pessoas acham que, para serem aceitas em um grupo de amigos, da escola, para iniciar um novo ciclo, precisam usar drogas. Não caiam nessa. É o pior arrependimento da minha vida.

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em nosso grupo do Telegram

MATÉRIAS RELACIONADAS