Login

Esqueci minha senha

Não tem conta? Acesse e saiba como!

Atualize seus dados

Estado tem 1.579 crianças superdotadas, diz MEC

| 11/08/2021 14:00 h | Atualizado em 11/08/2021, 14:07

Com habilidades acima da média para a própria idade, 1.579 crianças e adolescentes são considerados superdotados no Estado, de acordo com um levantamento do Ministério da Educação (MEC) feito em 2020 e divulgado ontem. Ao todo, são mais de 24 mil crianças no País.

Dos 78 municípios capixabas, 39 identificaram “pequenos gênios”, que foram homenageados, ontem, no Dia Internacional da Superdotação. Vitória lidera o ranking de casos, com 261 estudantes. Contudo, é possível que o índice seja ainda maior, já que muitas escolas têm dificuldades para identificá-los.

Esses alunos são acompanhados pelo Atendimento Educacional Especializado (AEE), que disponibiliza salas com materiais necessários para o aprendizado.

Os alunos Rayane, João Amaro,  Helena dos Reis, Helena da Silva e Maria Albuquerque têm atendimento especializado
Os alunos Rayane, João Amaro, Helena dos Reis, Helena da Silva e Maria Albuquerque têm atendimento especializado |  Foto: Dayana Souza/ AT

Nesses locais, eles podem desenvolver habilidades em pintura, ciências, teatro, entre outras áreas. Todas as atividades são feitas no contraturno, para que eles também sigam com o ensino formal.

O estudante João Amaro Marins, de 11 anos, é uma das crianças atendidas pela rede municipal da capital, cujo trabalho atende também jovens como Helena da Silva, 12; Rayane Azevedo, 15; e Helena dos Reis Almeida, 13.

Apaixonado por brinquedos de lógica, João Amaro percebeu que era “diferente” após conseguir responder problemas matemáticos antes dos colegas de turma.

“Sempre tive facilidade em resolver jogos e equações. Então, comecei a gostar ainda mais de praticar. Já resolvi um quebra-cabeça em menos de 30 segundos”, cita.

Habilidosa na pintura e na escrita, a adolescente Maria Albuquerque, 14, também tem um diferencial: “Não só faço as minhas histórias, como também pinto”, conta.

Segundo o professor da Escola Municipal do Ensino Fundamental (Emef) Álvaro de Castro Mattos, em Jardim da Penha, Vitória, Israel Scárdua, esse trabalho é capaz de favorecer o autoconhecimento dos alunos. “Em vez de ensiná-los conteúdos comuns da grade curricular, eles que determinam o que querem aprender”, explica.

Caso os pais notem a superdotação, eles devem pedir por um atendimento especializado nas escolas dos filhos, como orienta a coordenadora da Educação Especial de Vitória, Ana Lúcia Sodré.

“A família precisa observar o filho, pois, ele dá vários indicativos de superdotação, a exemplo da curiosidade aguçada e da inquietação”, sugere.

Rede pública da Grande Vitória oferece serviços

Os familiares que identificarem superdotação em crianças e adolescentes e quiserem desenvolver seus talentos podem procurar os serviços nas prefeituras da Grande Vitória ou na Secretaria de Estado da Educação (Sesa).

Em Cariacica, por exemplo, a Secretaria de Educação informou que faz um atendimento nas áreas de artes plásticas, poesia, robótica, astronomia e música para suplementar a educação desses alunos.

Outro município que faz o atendimento para alunos superdotados é a Serra. No entanto, durante a pandemia, estão sendo realizados apenas atendimentos online e projetos de desenho e Matemática.

Em Vila Velha, está em fase de planejamento uma política pública para esse público-alvo, a fim de potencializar o atendimento que já é realizado.

Na rede estadual do Espírito Santo, é oferecido o Núcleo de Atividades para Altas Habilidades/Superdotação (NAAH/S), cuja sede fica em Vitória. Entre as atribuições do núcleo, estão o atendimento na área de robótica e artes, além da oferta de cursos de formação para professores na área.


SAIBA MAIS


Como identificar

Superdotação

  • De modo geral, se caracteriza pela elevada potencialidade de aptidões, talentos e habilidades, evidenciada no alto desempenho nas diversas áreas de atividade do aluno e/ou a ser evidenciada no desenvolvimento da criança.

  • Contudo é preciso que haja constância de tais aptidões ao longo do tempo, além de alto nível de desempenho na área de superdotação.

Primeiros sinais

  • Grande curiosidade a respeito de objetos, situações ou eventos, com envolvimento em muitos tipos de atividades exploratórias.
  • Autoiniciativa, que é a tendência a começar sozinho as atividades, a perseguir interesses individuais e a procurar direção própria.
  • Originalidade de expressão oral e escrita, com produção constante de respostas diferentes.
  • Desenvolvimento precoce de habilidades motoras (por exemplo, equilíbrio, coordenação e movimento).
  • Talento incomum para expressão em artes, como música, dança, teatro, desenho, entre outras.
  • Habilidade para apresentar alternativas de soluções, com flexibilidade de pensamento.
  • Abertura para a realidade, pois busca se manter a par do que o cerca.
  • sagacidade e capacidade de observação.
  • Capacidade de lidar com situações-problema, de seleção de respostas, de busca de soluções para problemas difíceis ou complexos .
  • Uso inicial de um vocabulário avançado.

Quando procurar ajuda

  • Os pais devem procurar escolas da rede municipal, além das da rede estadual, para obter orientações de como matricular o filho no programa de educação especial. Já os professores podem identificar o aluno, entrar em contato com a família, fazer um pedido para a Secretaria de Educação, através da escola, e esperar pela resposta positiva, ou não.

Fonte: Ministério da Educação.

Ficamos felizes em tê-lo como nosso leitor! Assine para continuar aproveitando nossos conteúdos exclusivos: Assinar Já é assinante? Acesse para fazer login

Quer receber as últimas notícias do Tribuna online? Entre agora em um de nossos grupos de Whatsapp

MATÉRIAS RELACIONADAS